Agentes federais intervêm no Complexo Penitenciário de Cucurunã

Agentes Prisionais Federais assumiram o comando das atividades operacionais do Centro de Recuperação Agrícola Silvio Hall de Moura. A intervenção teve início na segunda-feira, dia 12, e têm à frente agentes federais que já atuam em Santarém. A coordenação da penitenciária segue sendo feita por Vianey Lira.

O Centro de Recuperação vem passando por uma série de mudanças, como a demissão de funcionários mais antigos e a contratação de outro mais novos para um período de dois anos. Os novatos estão passando por um período de treinamentos, enquanto os que já estão lá passam por readequações, como ter que andar armados na parte de dentro do local – o que tem os deixados preocupados, pois por terem contato maior com os presos, os riscos de vida aumentam as chances de os tornarem reféns.

Outra mudança feita foi a suspensão das atividades de socialização e aulas na escola da penitenciaria – isso desde o início de agosto. Com a intervenção, o coordenador pedagógico da escola foi demitido, não tendo no momento alguém capaz de substituí-lo.

O novo coordenador da escola e as duas pessoas para o auxiliarem devem ser definidos em um curto período de tempo, para que os presos que estudam possam voltar às atividades. O funcionamento da escola envolve o Sistema Penitenciário (Susipe), Vara de Execução Penal (justiça) e Semed e Seduc (educação).

Enquanto isso, um treinamento para novos agentes está sendo feito no próprio centro de recuperação.

Aumento da segurança após massacre em Altamira

A intervenção federal em Cucurunã corrobora com a informação dada pelo Jornal O Impacto, no dia 29 de julho, que a segurança no Centro de Recuperação Silvio Hall de Moura (CRASHM) seria reforçada para evitar que algo como o que aconteceu em Altamira não se repita em Santarém.

 

RG 15 / O Impacto

Um comentário em “Agentes federais intervêm no Complexo Penitenciário de Cucurunã

  • 14 de agosto de 2019 em 06:14
    Permalink

    Que português ridículo! Coloquem alguém que possa escrever melhor.

    intervêem.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *