Rurópolis e Almeirim têm recursos de vigilância em saúde suspensos

Os municípios de Rurópolis e Almeirim, no oeste do Pará, tiveram suspensos os recursos financeiros referentes ao Piso Fixo de Vigilância em Saúde (PFVS) e do Piso Variável de Vigilância em Saúde (PVVS), que são repasse de valores destinados a ações de vigilância, prevenção e controle de doenças. A portaria de suspensão do Ministério da Saúde foi publicada nesta sexta-feira, dia 23, no Diário Oficial da União.

Conforme do documento, os recursos foram suspensos por conta dos municípios não tem atualizado os Sistemas de Informação para Agravos de Notificação (Sinan), para Nascidos Vivos (Sinasc) e para Mortalidade (SIM). Um monitoramento feito neste mês teria constatado as irregularidades. Diante da situação, o repasse ficará indisponíveis a partir da publicação da portaria.

Os municípios só devem voltar a receber os recursos depois que regularizarem a situação junto ao Ministério da Saúde.

No Pará, além de Rurópolis e Almeirim, outras cidades tiveram os recursos suspensos. São elas: Baião, Cachoeira do Piriá, Concórdia do Pará, Curralinho, Goianésia do Pará e Mocajuba. A suspensão também atinge cidades de outros estados, como Alagoas, Amazonas, Ceará, Maranhão, Goiás, Minas Gerais, Pernambuco, Piauí, São Paulo e Rio de Janeiro.

RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *