BR-163 é bloqueada por garimpeiros no trecho de Moraes Almeida

Um grupo de garimpeiros realiza, na manhã desta segunda-feira (9), um bloqueio na rodovia BR-163, próximo ao distrito de Moraes de Almeida, em Itaituba, sudoeste do Pará. Os manifestantes paralisaram as atividades para cobrar a legalização dos garimpos na região. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o engarrafamento passa de 40 quilômetros em apenas um dos sentidos da rodovia.

Os manifestantes exigem a paralisação das ações contra os garimpeiros na região e pedem garantia e segurança dos equipamentos. Durante operações de fiscalização, aparelhos utilizados na extração de minério de forma ilegal são inutilizados.

O grupo também pede uma audiência com o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, para que seja discutida a regularização dos garimpos no Tapajós e regularização simplificada para as áreas garimpeiras.

Violência contra agentes do Ibama

Garimpeiros já haviam respondido com violência a ações de fiscalização do Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis (Ibama). No dia 30 de agosto, agentes do instituto foram alvos de tiros próximo a uma área indígena no Pará. De acordo com a Polícia Federal, a ação criminosa teve o objetivo de intimidar as ações de combate a garimpos ilegais na região. Ninguém ficou ferido no ataque.

A equipe que foi alvo do atentado era composta por quatro fiscais Ibama, quatro agentes da Força Nacional e oito policiais federais. Os disparos foram efetuados quando a equipe identificou um garimpo ilegal perto da Terra Indígena Ituna/Itatá. No acampamento, foi encontrada uma escavadeira grande, além de máquinas e bombas usadas em garimpos ilegais. Os equipamentos foram destruídos no local.

Fonte: G1 PA

Um comentário em “BR-163 é bloqueada por garimpeiros no trecho de Moraes Almeida

  • 10 de setembro de 2019 em 20:48
    Permalink

    E o que os usuários da 163 tem a ver com isso? Vá fazer protestos em Brasília ! Afinal, se cada descontente com os governos forem fechar rodovias, o Brasil para !

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *