Em Santarém, profissionais e acadêmicos discutem os desafios de empreender na Amazônia

“Os desafios da administração no contexto amazônico” foi o tema discutido em mesa redonda na noite de segunda-feira (10) no auditório da Unama – Centro Universitário da Amazônia. O encontro teve a participação das secretárias de Meio Ambiente (Semma), Vânia Portela e Gestão, Orçamento e Finanças (Semgof), Josilene Pinto; além do presidente da Associação Comercial e Empresarial de Santarém (Aces), Roberto Branco.

O presidente da Aces apresentou números sobre a realidade socioeconômica de Santarém. Segundo ele, atualmente, o município possui uma estatística de 150 mil pessoas na idade de trabalho, sendo que 20% trabalha com carteira assinada e os demais são empreendedores ou autônomos.

“O município possui um Produto Interno Bruto (PIB) de R$ 4,5 bilhões, somos a terceira maior população do Pará, o 6º maior PIB do Estado, mas estamos na 38ª posição de arrecadação per capita. O que isso significa? Por sermos um dos maiores arrecadadores, mas dividindo essa arrecadação de produção por pessoa, nossa posição fica lá pra trás, nos tornando um povo pobre e isso precisa ser mudado”, informou Roberto Branco.

Para ele, a situação pode ser revertida com a criação de novos empreendimentos, especialmente no aperfeiçoamento da matriz de geração de emprego e renda. “Hoje, nossa matriz está baseada em 52% de comércio, 15% de indústria e os demais percentuais em serviços. Observamos que a mudança pode também estar inserida na melhoria de portos e do turismo, dois potenciais produtores para serem explorados, aproveitados pela população”.

Por sua vez, Vânia Portela ressaltou que as questões ambientais estão totalmente relacionadas com os processos de gestão na Amazônia, sendo desafio tanto para a gestão municipal quanto para o empreendedor buscar o equilíbrio entre o econômico, o social e o meio ambiente, tripé para alcançar o desenvolvimento sustentável.

“Precisamos entender que é possível desenvolver de forma sustentável. Queremos, por exemplo, portos a todo custo? Não. Queremos um porto construído de forma responsável. Por isso, são realizados projetos ambientais que minimizem todos os impactos que são analisados criteriosamente por toda uma equipe técnica. Uma licença ambiental em mãos é poder estar isento de multa, poder garantir linhas de créditos junto às instituições financeiras e a preservação ambiental”.

A secretária Josilene Pinto que também é formada em Administração, reforçou a importância da atuação do administrador ou contabilista para a construção de uma cidade melhor. “Todo bom profissional dessas áreas precisa ter bem claro o ramo que deve atuar, o negócio que vai gerir, seja privado ou público. É necessário também ter domínio de vários outros campos do conhecimento que certamente prestará relevantes contribuições para o crescimento do município”.

A mesa redonda faz parte da “Semana Acadêmica de Administração e Ciências Contábeis” da instituição de ensino.

Fonte: Agência Santarém

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *