Ivair Chaves – Homenagem ao Jornal O Impacto

Quero parabenizar este jornal e o Sr. Michael Douglas pela matéria publicada em referência ao Ex-secretário Estadual da SEFA, gestão do governo passado, que foi manchete da edição de 20 de setembro de 2019. O citado Secretário quando fomos injustamente multados em quase 10 milhões, por uma fiscalização intitulada de profundidade, nos anos de 2011 até 2015, fiscalização esta que não aconteceu, nossos livros fiscais exigidos foram depositados na SEFA de Santarém e voltaram para a empresa do mesmo jeito que foram entregues e nos informaram que a fiscalização foi em Belém.  Na verdade o secretário e auditor cresceram o olho e a ambição, por estes anos que tivemos bons faturamentos na Maicá Diesel, só que o imposto de veículos já vem recolhido direto da fábrica para os Estados, pagamos somente a diferença da venda, isto tanto o auditor quanto os fiscais sabem bem, só que nestes autos injustos, nos pediram na maior cara de pau e sem vergonha,1 milhão de reais de propina para dar quitação dos anos fiscalizados, como não é nosso costume pagar propina, pois assim fazendo estou roubando de minha empresa, resistimos ao valor cobrado e não aceitamos. Apesar das ameaças, de prejudicar nossa empresa.

Advertiram meu contador, mandar pagar este valor pedido em 5 parcelas, se não o fizéssemos iria ficar pior para nós, temos tudo gravado em Skype, com a negativa de nossa parte, a SEFA colocou nossa empresa em todos os órgãos de crédito negativando e denegando, não podemos mais comprar das fábricas  e nem participar e vender para órgãos onde precisava certidão. Fomos a Belém com a ajuda e recomendação de um político da região, que marcou uma audiência com o Secretário – fui eu, minha filha Roberta e o Dr. Adalberto Teixeira, pelo fato de termos sido bem recomendados pelo político, pudemos entrar os três. Iniciamos exposição, foi chamado o Setor jurídico da SEFA e a advogada, ao perguntar ao Dr. Nilo do que se tratava, a resposta foi: “mais uma do auditor flores”, que foi o auditor que forjou a fiscalização, dizendo: vamos tomar providências, o que não aconteceu. Este ainda é o Brasil que vemos, peço a Deus que mude e um dia possamos orgulhosamente viver dos dizeres do nosso Hino Nacional. Quando fui informado da habitual e viciada desonestidade do auditor começamos uma pesquisa do mesmo. Puxamos uma ficha corrida e nos deparamos com vários calotes e restrições do mesmo,  somando um valor de mais de 800 mil reais, é bem próximo ao valor que estavam planejando nos assaltar para pagar seus débitos, e nas mesmas pesquisas descobrimos dois processos no fórum de Altamira, quando o mesmo foi delegado lá. No auge da pressão. Fomos ao Governador da época e levamos todo o dossiê documentando esta situação, o mesmo na presença de algumas pessoas na sede da ACES, assim se expressou precisávamos ter uma documentação como esta para punir os desonestos do governo e eu ainda lhe disse Dr., a hora que o Sr. afastar estes desonestos do estado, vai aumentar a arrecadação e teremos mais vida com saúde, educação e projetos sociais para o povo que é quem paga, nós só repassamos, por isso não é justo ficar na mão dos corruptos e desonestos estes suados valores pra quem paga com sacrifício.

Manoel Ivair Chaves

Empresário/produtor Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *