Descaso: Seleção Santarena sem apoio financeiro para Copa Oeste

A Copa Oeste de Futebol iniciou no fim de semana passado, mas uma coisa tem dado dor de cabeça para a comissão da seleção santarena: a total falta de apoio financeiro. De acordo com o técnico da equipe, Beto Farinha, até o momento a seleção não recebeu nenhum tipo de apoio do poder público, fazendo com que ele mesmo e a Liga Esportiva de Santarém (LES) tenham que se virar para conseguir arcar com todas as despesas.

No início desta semana, circulou o rumor de que a equipe poderia nem mesmo continuar no certame, tendo em vista a logística dessa competição e a necessidade de apoio. No entanto, em contato com o Jornal O Impacto, o treinador Beto Farinha confirmou que o time não deixará a competição, tendo que se desdobrar para conseguir recursos financeiros necessários para manter o time.

“Esse áudio (afirmando que a Seleção ia sair da Copa Oeste) foi para mostrar que não temos apoio nenhum do poder público. Mas vamos continuar jogando, porque não acho justo com os rapazes sairmos por conta disso. Precisamos muito de ajuda, queríamos que a prefeitura colaborasse com a gente, porque estamos representando a cidade, o esporte local. Não queremos que banquem tudo, mas nos apóiem. Mas se não querem vamos dar o nosso jeito, vamos nos virar e nos manter no campeonato”, comenta Beto Farinha.

A equipe santarena venceu o primeiro jogo que realizou na competição – 3 a 0 no time de Trairão. A partida foi realizada em Santarém, mas agora é que as coisas complicam, pois o próximo confronto é na cidade de Rurópolis e outra também será realizada em Trairão. Para ambas as viagens, a equipe ainda nem sabe como vai.

 “Esse governo não apoia nada relacionado ao esporte em Santarém, apenas o que lhes convém”, afirma o treinador.

Para se ter uma ideia, todo o uniforme dos jogadores foram custeados parte pela Liga Esportiva de Santarém (LES) e outra parte saiu do próprio bolso do treinador.

LIGA ESPORTIVA DE SANTARÉM

O presidente da Liga Esportiva de Santarém (LES), Sandiclei Monte, confirmou ao Jornal O Impacto que o áudio espalhado pelas redes sociais afirmando que a Seleção Santarena sairia da competição regional foi precipitado, mas não deixa de ter um fundo de verdade. Segundo ele, os custos para a manutenção de uma equipe dentro da Copa Oeste são altos, principalmente ao levar-se em consideração que se trata de uma equipe de cunho amador. “Nós fizemos uma reunião no início da semana onde expus como estavam complicadas as coisas. No final eu conversei com uma pessoa e disse que se continuasse assim era melhor tirar o time da competição. Só que falei que iríamos fazer uma reunião na quarta-feira (dia 25) e decidir o que realmente fazer, mas aí a pessoa se precipitou e fez um áudio falando tudo o que tinha acontecido e que o time já estava fora, o que não vai acontecer, pelo menos por enquanto. Decidimos que o time vai jogar a partida contra a equipe de Rurópolis no fim de semana, só não sabemos como”, enfatiza o presidente da LES.

De acordo com ele, apenas para a partida do fim de semana passado os gastos chegaram a R$ 4.300 – que vai desde o uniforme para atletas à alimentação, e pagamento da diária do trio de arbitragem. Para os próximos jogos a tendência é que tais custos até aumentem, tendo em vista que a equipe terá que se deslocar para outras cidades – Trairão e Rurópolis, mais especificamente.

Outro problema está no público, que parece não mais acompanhar o futebol amador, fazendo com que a partida tivesse apenas R$ 235 de renda – que normalmente é parte essencial na manutenção de uma equipe.

“Quando surgiu essa situação (possível desistência) alguns presidentes de Ligas de outras cidades vieram com uma história de que ‘ah, isso é uma vergonha para Santarém’. A questão é que em cidades menores, esta competição tem apelo maior. Se você fizer um jogo desses em outra cidade, vai conseguir de R$ 5.000 para frente só em renda. Aqui, nós colocamos o ingresso (no Colosso do Tapajós) a R$ 5 e nossa renda foi de 235. Assim complica”, afirma Sandiclei Monte.

Segundo ele, de fato o poder público municipal não tem ajudado de forma alguma a entidade e a equipe dentro da competição, sendo que em anos anteriores este apoio existia. Para ele, mesmo depois da notícia da possível desistência, ninguém do Núcleo Esporte e Lazer (NEL) da Prefeitura de Santarém se manifestou em apoio à equipe, mas sim para criticar a possível exposição feita ao governo por ele não estar apoiando a Liga Esportiva e a seleção santarena.

A COPA OESTE

A competição tem moldes parecidos com dos anos anteriores, com as seleções mandando seus jogos em casa e saindo para visitar os adversários. Santarém, Trairão e Rurópolis estão no grupo A1; enquanto Monte Alegre, Almeirim e Porto de Moz no grupo A2; e Óbidos, Alenquer e Curuá na chave A3.

A primeira fase tem seis rodadas, com os times se enfrentando dentro dos grupos – com uma seleção folgando em cada rodada. Os dois melhores de cada chave avançam à segunda fase, que terá mais três rodadas. As semifinais e a grande final serão disputadas em jogos de ida e volta. Copa Oeste de Futebol Interior é promovida pela FPF junto com as ligas esportivas dos municípios da região. No ano passado, a seleção de Óbidos foi a grande campeã do torneio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *