Artigo – Habemos Presidente!

Com gritos de “Habemos Presidente” a população argentina comemorou a volta da esquerda ao poder. Deu um pontapé definitivo no Doutrina do Neoliberalismo. Qual o motivo do povo odiar tanto esta doutrina? O que a doutrina do Neoliberalismo traz ao povo? A quem a doutrina é favorável? Por quê a América Latina protestando contra em países com neoliberlismo? Por que os países com forte influência, ou bases americanas, teimam em manter esta doutrina no poder?

Neoliberalismo é uma doutrina proposta por economistas franceses, alemães e norte-americanos, na primeira metade do século XX. É voltada para a adaptação dos princípios do liberalismo clássico sob um governo sem controle ou um estado mínimo. Defende a absoluta liberdade de mercado e fim da atuação estatal na economia. A doutrina também prega o fim da solidariedade humana.

No outono de 1987, Margareth Thatcher soltou uma de suas frases mais célebres, em entrevista à revista Woman Own: “Não existe essa coisa chamada sociedade”. Em seu discurso, a senhora neoliberal passava a informação que a sociedade deve se basear pura e simplesmente na individualidade e na competição entre os indivíduos. Para ela a competição deveria traçar os rumos do país para o bem e para o mal.

Todas estas características do Neoliberalismo poderia até funcionar em uma sociedade totalmente desenvolvida, e com  a pobreza eliminada. Este não é o caso da América Latina. Nem mesmo é o caso do país mais rico do mundo, os EUA. O Neoliberalismo promove o capitalismo selvagem e todas suas características. Promove o monopólio, a concentração de riqueza, aumento da pobreza e a desigualdade social. Favorece o espalhamento de doenças e a baixa educação dos povos.

A década de 1990 na América Latina, foi marcada pela implementação e consolidação de políticas econômicas neoliberais. Foram implementadas com as justificativas do combate à crise econômica dos anos 1980. Crise estas justamente criadas pelo endividamento dos Estados propositadamente imposto pelos governos militares implantados pela Operação Condor. Uma vez implantada, a doutrina teve como consequências o aumento do desemprego, surgimento do subemprego em massa, e aumento da pobreza.

A autora Rosana Campos, em sua obra “O impacto das reformas econômicas neoliberais na América Latina: desemprego e pobreza”, considerou o neoliberalismo uma utopia que trouxe a uma boa parte da população latino-americana o desemprego e a pobreza. Houve também a criação de um fosso social que marcou a virada do século XXI da América Latina.

Por outro lado, a Doutrina Neoliberal é muito boa para uma parte da população (1% mais rico), pois possibilita a eles concentrarem mais renda. Também facilita as grandes corporações de criar monopólios, pois a intervenção do estado é quase zero, e principalmente, pagar muito menos impostos.

Foi tão ruim assim o Neoliberalismo por que motivo ele voltou? No Brasil voltou, principalmente, devido ao golpe de estado. Logo após o golpe, que já foi admitido por Michel Temer, este presidente iniciou seu mandando exatamente no ponto onde parou Fernando Henrique Cardoso, trabalhando em reformas trabalhistas e de previdência.

No resto da América Latina voltou por conta da campanha do medo dos países se tornarem uma Venezuela. Os embargos econômicos e agora o bloqueio econômico, além da tomada dos bens do país no exterior, destruiu a economia do país. País este que sofrerá terrorismo econômico até que entregue suas reservas de petróleo (as maiores reservas de petróleo do mundo) a petroleira americana Exxon Mobil. Não haverá trégua enquanto a isto não for concretizado.

O fracasso da política neoliberal de Macri na Argentina, o sufoco das classes mais pobres no Chile, o aperto econômico dos pobres no Equador causou uma explosão social sem precedentes. Históricas mobilizações de protestos no Chile está fazendo agora o presidente Sebastian Piñera extinguir a política neoliberal do Chile. No Equador ocorreu mais uma explosão social assim que o presidente Lenin Moreno iniciou a aplicação da política neoliberal. Neste momento o presidente está voltando atrás nas medidas adotadas.

No Uruguai, mesmo depois de 15 anos no poder a esquerda se mantém, pois lá a população sabe muito bem o que a doutrina Tacheriana traz a população. A Bolívia preferiu seguir como nos últimos 15 anos e continuar com o maior crescimento do PIB das Américas com o “Partido Movimento Para O Socialismo”.

Dos países com fortes influências dos EUA, ou com bases militares americanas, a experiência do Neoliberalismo ainda continuará. A Colômbia, e suas 9 bases militares americanas, para que os EUA possam aplicar a política do “Big Stick” na América Latina e favorecer seus interesses econômicos. Peru, com 8 bases americanas, está sob um quase golpe de estado, mas mantém um presidente que garanta os interesses das empresas e do capital americano.

O Paraguai é debutante em abrigar base militar americana, e há alguns anos um golpe de estado afastou o presidente Lugo, em favor de um presidente neoliberal. Por fim, o Brasil que deve estrear uma base americana em Alcântara, promessa de Bolsonaro a Trump em troca da entrada na OCDE, é um país que agora deverá ir funfo na experiência do neoliberalismo. Esta doutrina começou bem animada no Brasil de Bolsonaro com a reforma da previdência que vai criar, em poucos anos, multidões de velhinhos sem ganho mínimo para o sustento.

Habemos Presidente” comemora agora a população argentina com muita festa a vitória de Fernandez. Muitas dos argentinos comemorando no comitê da eleição de Alberto Fernandez comentaram que a visita, do presidente argentino eleito à Lula, deu muita sorte na eleição. Já Macri, perdeu muitos votos na Argentina depois do apoio de Bolsonaro. Trump com as barbas de molho deve estar planejando uma visita a LuLa em Curitiba.

RG 15 / O Impacto

2 comentários em “Artigo – Habemos Presidente!

  • 29 de outubro de 2019 em 10:07
    Permalink

    Realmente o tal “gênio” só escreve asneiras, uma dela que o neoliberalismo é “até bom”, fazendo de conta não saber que foi a única doutrina econômica que tirou os países da miséria, hoje de primeiro mundo, após o início da era industrial. O marxismo conseguiu colocar até a economia inglesa no buraco, quando foi salva pela Margareth Theatcher, privatizando ao máximo as estatais inglesas. Óbvio que o trabalhistas, do PC, puseram a boca no trombone, denunciando o “entreguismo”, porém hoje a economia é tão sólida que os ingleses se deram ao luxo de optar por cair fora do Mercado Comum Europeu! O marxismo, que os vermelhinhos da América Latina agora teimam em implantar na maioria dos países,é tão ruim que após 70 anos de fracassos acabou implodindo a União Soviética, libertando os países até então escravizados , onde tudo era racionado e todos vigiados pela KGB. Agora imaginem a tal porcaria implantada em país mal administrado, políticos oportunistas e larápios, povo imediatista e crente em demagogos, lascou ! Né venezuelanos, cubanos, bolivianos, etc !

    Resposta
  • 29 de outubro de 2019 em 00:21
    Permalink

    Pronto, um gênio da nossa terra acaba de decretar o fim do neoliberalismo, a doutrina econômica que impulsionou a Europa desenvolvida e até a China comunista, ao contrário do desastre marxista, mais de 100 anos de fome, perseguições, doenças e fuzilamentos ! Agora o ideal para a América Latina é o marxismo radical, tendo a Venezuela bolivariana como exemplo; preparem-se gaúchos para logo, logo começarem a receber em massa os refugiados argentinos, virão com fome de comer carne, adoram carne! Os comunistas chegam ao poder, não sabem administrar, esculhambam a economia com suas teorias populistas e demagogas, roubam muito, como ocorreu no Brasil, ficam ricos e depois acusam a justiça de perseguição implacável a inocentos, né Dilma? O gênio santareno acusa, também, os neoliberais de não serem solidários com os pobres, kkkk, vimos mesmo vc e outros marxistas irem até a Venezuela acudirem os miseráveis, loucos de fome e doentes, que podem contar somente com a ajuda das Forças Armadas do Brasil, nem na fronteira vcs pisam ! A aplicação do neoliberalismo exige competência, inteligência e honestidade, qualidades que os oportunistas vermelhos demagogos não prezam, não possuem. Chega de proselitismo barato, que Deus salve os argentinos !

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *