Quatro servidores da Sefa descumprem prazo para entrega de declaração de bens à AGE e outro adultera documentos

Mais um capítulo da investigação sobre as irregularidades cometidas por Nilo Emanoel Rendeiro de Noronha, no período que foi Secretário de Estado de Fazenda (Sefa) do Pará. As investigações agora se voltam para servidores que não entregaram os documentos de declaração de bens e valores até o prazo definido pela Auditoria Geral do Estado, que era o dia 26 de outubro.

 Em decisão publicada no Diário Oficial do Estado do Pará, a AGE abriu sindicância para apurar os atos de quatro servidores da Sefa, sendo dois de Belém, um de Capanema e outro de Novo Progresso. De acordo com a AGE, todos não entregaram os documentos de declaração de bens dentro do prazo estipulado, descumprindo assim uma determinação do órgão estadual.

Além deles, outro servidor de Tomé Açú pode ser tornar alvo das investigações. Este acabou entregando a declaração de bens e valores, mas os auditores da AGE acabaram percebendo que tais documentos estavam editados. Ele acabou recebendo mais cinco dias de prazo para entrega dos documentos sem nenhum tipo de alteração, podendo até mesmo cair em uma sindicância.

Investigações em Santarém

Recentemente, uma servidora lotada no setor de Coordenação Executiva Especial da Administração Tributária de Santarém, pediu suspensão do prazo para entrega dos documentos de declaração de bens, além de requisitar uma cópia dos autos do processo. Na investigação, a servidora consta como testemunha do caso. Ambos os pedidos foram negados pela AGE, que não viu nenhuma base legal e justificada para aceitar tais pedidos.

RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *