Vereadores relatam descaso com passageiros por parte de empresa que faz travessia Santarém/Santana do Tapará

Após receberem inúmeras denúncias de irregularidades por parte da balsa que faz a travessia Santarém/Santana do Tapará, parlamentares de Monte Alegre, Alenquer, Óbidos e Prainha fizeram um requerimento para que a empresa responsável pelo transporte – a Camila Navegação e Transporte – prestasse os devidos esclarecimentos. A pauta foi levada pelo vereador de Monte Alegre Cabo Leonardo.

Segundo ele, a balsa vai de Santarém até Santana do Tapará, mas é utilizada principalmente por moradores de Monte Alegre, que relatam um descaso por parte da empresa, que não presta um serviço adequado.

“Eu fiz um requerimento na Câmara solicitando uma audiência pública lá em Monte Alegre sobre o descaso dessa empresa da Balsa Camila. Só que verificando os documentos, percebi que a empresa é intramunicipal e não intermunicipal, rodando apenas na região de Santarém, não atingindo necessariamente a área de Monte Alegre. Então requeri um novo documento, desta vez para a Câmara de Santarém, solicitando que houvesse uma audiência com os vereadores da região. Isso foi aprovado e fiz um oficio convidando todas as Câmaras vizinhas”, relata o vereador Cabo Leonardo.

De acordo com o parlamentar, os problemas identificados são os seguintes:

  • Ausência de emissão de notas fiscais;
  • Falta de bebedouros em todos os conveses;
  • Falta de refrigeração dos conveses;
  • Ausência de transparência para o calculo da tarifa de travessia;
  • Falta de quadro dos deveres e direitos dos usuários;
  • Falta de quadro de telefone do Procon, Secretária Municipal de Transporte e Capitania;]
  • Ausência de enfermeiros, dado o grande fluxo de passageiros;
  • Ausência de disponibilização do contrato de concessão no site da prefeitura de Santarém e no site da empresa;
  • Ausência de tabela de tarifa de travessia no site da prefeitura de Santarém e no site da empresa;
  • Ausência de corredor de passagem de carros;
  • Ausência de bagageiro ou guarda volumes no convés principal;
  • Ausência de enfermaria no convés principal;
  • Falta de acessibilidade para convés superior;
  • Falta de local adequado para idosos, gestantes e deficientes;

“Fizemos então uma reunião há vinte dias e cobramos uma lista de coisas, como acessibilidade – que não tem. Os idosos não conseguem subir aquela escada [da balsa], ela é muito íngreme e alta, então os mais velhos têm que ficar na parte de baixo, perto da sala de máquinas, tendo que sentir odor de coco de cavalo e porco. Os cadeirantes não têm um lugar adequado para ficarem, não tem coletes próximos aos deficientes. As cadeiras também precisam ser trocadas por poltronas, bebedouros também não tinham – colocaram um, mas ainda não é o suficiente”, comenta o parlamentar.

De acordo com o vereador, outro grande problema que surge é a concessão dada à empresa, que pelos próximos 20 anos deve navegar sozinha por esse trajeto, pois segundo ele, até uma a entrada de uma empresa concorrente é proibida em contrato.

Ainda segundo o parlamentar, durante a primeira reunião que teve com a empresa, a mesma disse que tentaria melhorar alguns setores da balsa que faz o transporte. No entanto, o vereador afirma que durante o período de tempo pedido pela Camila Navegação e Transporte para adequação da balsa, não viu nenhum tipo de melhora. Segundo ele, as reclamações da população que é obrigada a usar a embarcação continuam sendo as mesmas

“Na primeira reunião eles colocaram que em um primeiro momento ia instalar mais 12 ventiladores – o que é uma reivindicação nossa, pois as pessoas reclamam do calor. Eles disseram que não iam climatizar [as cabines] porque dava muito problema, mas durante a reunião o presidente da Câmara de Óbidos afirmou que esse problema só acontecia com a empresa deles, porque as embarcações em Óbidos são navios de ferro e Ferry-boat, todas climatizadas e sem problemas. Aí eles disseram que caso os ventiladores não deem certo, eles vão climatizar. Também disseram que iam trocar as cadeiras por poltronas. Eles pediram vinte dias de prazo, mas observando tudo não vimos nenhum tipo de mudança”, enfatiza o parlamentar.

Durante a segunda reunião realizada por vereadores sobre o assunto, a empresa mandou um documento pedindo a prorrogação do prazo para aplicação das melhorias na balsa. O pedido está sendo avaliado.

RG 15/O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *