Interior do Estado vira “mercado ideal” para venda de veículos roubados

O Interior do Pará, até mesmo a região oeste do Estado, tem registrado inúmeros casos de veículos apreendidos por terem identificações clonadas e adulteradas, todos provenientes de assaltos e furtos. Só na última semana foram registrados pelo menos seis casos de carros ou motos apreendidos pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) em cidades vizinhas a Santarém, todos registrados como roubados.

Na maioria dos casos o “modos operandi” da apreensão de veículos nesse estado é praticamente a mesma: a Polícia aborda o condutor, verifica que há adulteração de placa e chassi e ao jogar os dados no sistema, contata que se trata de um carro ou moto roubados. Quase sempre o então condutores afirma ter comprado o veículo de terceiros e acabaram não checando a procedência do produto, tendo assim que responder pelo crime de receptação.

OPERAÇÃO FRONTEIRA VERDE II: Já na segunda-feira, dia 4, a PF fez uma vistoria em um carro modelo Honda Civic. Foi constatado que o veiculo era clonado e que era registrado como furtado de Manaus, em dezembro de 2015. O condutor do veículo, Marinaldo Batista Braga, informou que o veiculo era de um amigo (Edio da Costa Gomes) e que estava com carro porque seu dono estaria em Itaituba. Tanto o condutor quanto o carro foram encaminhados para a Polícia Judiciária do Município de Rurópolis/PA para os procedimentos legais.

Ainda no mesmo dia, uma equipe do Grupo de Policiamento Tático da 5ª Delegacia de Polícia Rodoviária Federal apreendeu uma moto Honda NXR Branca, que era conduzida por Rodrigo Barreto. O veículo estava adulterado e era registrado como roubado em Santarém, em dezembro de 2017. Rodrigo Barreto foi conduzido para a delegacia do município, onde foi atuado por receptação.

MOTOS APREENDIDAS: A Polícia Rodoviária Federal apreendeu, na mesma semana em Rurópolis, duas motocicletas que haviam sido roubadas – uma no mesmo município e outra em Santarém. Ambos os condutores dos veículos afirma terem comprado as motos sem saberem que eram roubadas e foram conduzidos para até a delegacia.

O primeiro caso foi registrado no dia 31, quando uma guarnição da PRF avistou uma motocicleta do modelo Honda 150 Titan KS verde. Em consulta ao sistema, foi constatado que veiculo foi roubado em maio de 2017 em Santarém. Ao ser abordado, o condutor da moto, identificado como Marcelo Saraiva de Barros, informou que a moto foi comprada pelo pai e não sabia que era registrada como roubada. Já o segundo caso também foi registrado no mesmo dia. Novamente uma equipe da PRF avistou uma motocicleta do modelo Titan 125 KS, só que neste caso ela estava sem placa. Ao verificarem o chassi do veiculo no sistema, ficou constatado que a moto havia sido registrada como roubada em outubro de 2016 na própria cidade. Ao ser confrontado, o condutor, identificado como Fabio Gomes Ferreira, afirmou que revende motocicletas e um indivíduo de nome de Izaias deixou a moto para ele vender pelo valor de R$ 1.500. Ele também disse não saber que o veiculo era fruto de roubo.

ITAITUBA: Outro registro desse tipo foi feito em Itaituba, quando uma equipe do Grupo de Patrulhamento Tático da Polícia Rodoviária Federal (PRF) apreendeu no dia 1 um veículo (L200 Triton de cor prata) roubado. O carro, que era conduzido por José Farias de Sousa, estava com placa e documentos clonados. Segundo a PRF, o veículo foi roubado em Araguaína, no Tocantins, em julho deste ano. O condutor do carro disse tê-lo comprado de um conhecido em Santarém e que não sabia ele era roubado. Tanto a L200 Triton quanto José Farias de Sousa foram conduzidos e apresentados à Polícia Judiciária do Município de Itaituba/PA para os procedimentos legais.

VENDA NO INTERIOR: Recentemente, quatro homens suspeitos de integrar uma associação criminosa, responsável por roubos e adulteração de veículos foram presos na manhã desta segunda-feira, em Belém. De acordo com a Polícia Civil, durante a prisão foram apreendidos com a quadrilha cinco veículos. De acordo com a polícia, a maioria dos veículos eram furtados ou roubados de estacionamentos próximos a faculdades, shoppings e locais onde eram realizados shows. Segundo as investigações, depois de furtados, os veículos eram adulterados e trocados por marcas conhecidas. Após todo o processo de adulteração, os veículos eram colocados a venda em site e tinham como destino quase sempre cidades do interior do Pará.

DADOS NO PARÁ: Segundo a Delegacia de Repressão de Roubos e de Furtos de Veículos Automotores (DRRFVA), em média mil veículos são roubados em todo o Estado do Pará a cada mês, o que representa cerca de 33 veículos por dia, totalizando 12 mil ocorrências ao ano. A conta inclui veículos leves, pesados e motocicletas. A média de recuperação desses produtos roubados oscila entre 35% e 40%. Os veículos nessas situações utilizados de várias formas. Uma delas é para realizar outros crimes, como por exemplo, assaltos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *