Vídeo – Polícia do AM apreende quase 2 toneladas de drogas em porão de embarcação

Cinco homens foram presos na manhã de sexta-feira (08) com quase 2 toneladas de maconha do tipo Skunk e uma pistola, em uma embarcação atracada na Orla de Manacapuru (distante 68 quilômetros em linha reta de Manaus).

Os suspeitos, identificados como Alex de Oliveira Jean, 39; Fábio de Lima Souza, 34; Edson Luiz Viana Fernandes, 39; Élson Rodrigues Mota, 39; e Raimundo Nonato Abreu Ramos, 48, mantinham o material ilícito no interior da embarcação, que viria para Manaus.

Segundo o diretor do Departamento de Investigação sobre Narcóticos (Denarc), delegado Paulo Mavignier, que coordenou a ação policial, o grupo criminoso já estava sendo investigado há cerca de trinta dias, a partir de denúncias anônimas que informavam sobre a existência de uma embarcação carregada de material ilícito que chegaria a Manaus.

“Nós interceptamos um rebocador – uma embarcação de ferro – que vinha do município de Maraã, na calha de Japurá. Essa embarcação foi interceptada em Manacapuru e, na revista, nossos policiais encontraram, em uma freezer embaixo do porão, aproximadamente 1 tonelada e 700 quilos de maconha do tipo ‘Skunk’. Além dessa droga, foi apreendida, na cabine do comandante, uma pistola calibre ponto 40 com a numeração suprimida, além de 11 munições de diferentes calibres”, disse o delegado.

A operação, deflagrada em conjunto com o Grupo Força Especial de Resgate e Assalto (Fera) e Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Manacapuru, irá apurar a responsabilidade penal de cada um dos presos, que, ainda de acordo com Mavignier, seguiriam com a droga para Manaus, além do Nordeste e Sudeste do país.

“Essa ação trouxe um grande prejuízo para a organização criminosa que era responsável por essa droga – nós iremos manter em sigilo – e com certeza essa droga teria como destinos Manaus, Nordeste e Sudeste do país”, acrescentou.

O material ilícito apreendido era trazido da cidade de La Pedreira, na Colômbia, e armazenado no município de Maraã, para então ser despachado pela organização criminosa.

“Os homens presos fazem parte apenas da logística para que a droga chegasse ao local indicado. No entanto, a investigação dará prosseguimento em sigilo, a fim de que toda a quadrilha seja desarticulada”, destacou.

Para o delegado Juan Valério, coordenador do Grupo Fera, a operação obteve êxito após, em uma das campanas nos rios, a embarcação ter sido avistada e abordada pelos policiais, com aparelhos eletrônicos que supostamente eram utilizados para a comunicação entre os criminosos , e que não deu tempo de serem descartados; além de nenhum policial sair ferido.

“Felizmente nosso treinamento foi posto à prova mais uma vez, e conseguimos colaborar com o Denarc nessa excelente prisão, que será emblemática por conta da quantidade de drogas apreendida, e que seria pulverizada nas ruas”, enfatizou.

Fonte: A Critica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *