Artigo: O infindável 21 de novembro da Colômbia e a manipulação jornalística no Brasil

Por Oswaldo Bezerra

Os manifestos antigoverno, do dia 21 de novembro, se tornaram violentas após o pacote econômico e social do presidente colombiano Iván Duque. Já são 3 mortos e 275 feridos. A paralisação faz parte de uma série de protestos encabeçados pelos estudantes.

Os estudantes colombianos são menos enganados pela rede de notícias falsas, que Steve Bannon faz para as corporações financeiras. Assim, enxergam o mal que o governo comete contra sua geração. Diferente dos mais velhos que, não acostumados às redes sociais, caem facilmente em notícias falsas, pois não tem o hábito de checar veracidade na internet. Por isso, ficam imóveis perante atrocidades do governo.

O presidente colombiano pretende, com os pacotes de maldade, criar uma similar carteira verde amarela do Brasil, onde jovens terão serão muito prejudicados nas relações trabalhistas. É a rota da máxima de Bolsonaro que diz que “é melhor ter mais empregos sem direito, do que direitos e menos emprego”. Bem diferente da diretiva do governo Lula que criou 15 milhões de empregos formais, sem mudar nenhuma vírgula da CLT ou da previdência.

No livro “Os Enganados” do John Perkins, ex-agente da CIA, ele define que os bancos são um dos tentáculos do governo americano (Deep Stete). O presidente é um títere dos EUA, país este que possui 9 bases militares em território colombiano. Ivan Duque antes de ser presidente da Colômbia foi do Banco Interamericano de desenvolvimento, foi da corporação financeira IIC e do fundo multilateral de investimentos do grupo BID. Ou seja, trabalha em favor dos bancos mesmo agora.

Em todo mundo foi noticiada a motivação trabalhista e pensionista para a paralização colombiana. A imprensa internacional até explicou os detalhes das mudanças onde, por exemplo, será finalizadaa a estabilidade no emprego, haverá redução de salários para 75% do salário mínimo, haverá salários diferentes por regiões, as nova contratações serão por hora trabalhada. Também ocorrerá a eliminação do salário mínimo.

Quanto a reforma pensionista, o pacote do governo prevê a eliminação da aposentadoria como direito de todos os trabalhadores. Converterá as pensões em fundos privados. E as pensões ficarão em valores abaixo do salário mínimo. O ataque aos trabalhadores, pelo grande capital internacional, é uma ação coordenada e de nível continental. Em reposta do governo além dos 3 manifestantes mortos, 5 líderes sindicais foram assassinados pela milícia.

No Brasil o grande apoiador é a imprensa destas reformas. Basta observar o comportamento dela com os acontecimentos do 21 de novembro. É assim que a imprensa funciona no Brasil. Ela é a grande ferramenta de alienação e acomodação do povo brasileiro. Neste dia 21, por exemplo, a grande manchete do Jornal Nacional foi “o emprego está voltando” ao Brasil, desviando a atenção do trabalhador ou do desempregado brasileiro.

É também a forma de apoiar o projeto das grandes financeiras e corporações, e suas mudanças nas políticas sociais e de previdência para a América Latina. Quanto a Colômbia, o Jornal Nacional apenas noticiou que houve um protesto contra o presidente colombiano, sem mais detalhes. Contudo, até hoje o dia 21 de novembro ainda não terminou e, a batalha entre trabalhadores contra militares e milícia, continua na Colômbia.

RG15/O Impacto

2 comentários em “Artigo: O infindável 21 de novembro da Colômbia e a manipulação jornalística no Brasil

  • 26 de novembro de 2019 em 09:11
    Permalink

    O mundo mudou desde a década de 1950/60 , quando a ilusão do sonho da igualdade entre os homens ainda fazia as cabeças realmente pensantes. Desde lá o marxismo comprovou seu fracasso, mostrando que fora da livre iniciativa e liberdade de mercado, não há salvação pra economia de qq país, conforme veio experimentar a própria China. Quando acabo de ler o artigo acima, tenho a certeza que as cabeças dos teóricos do comunismo continuam obtusas, pregando para a juventude como se não houvessem, ainda , os novos meios de comunicação; tentam continuar com a famigerada lavagem cerebral, prometendo o paraíso após o fim do capitalismo. Estão lá os esfomeados venezuelanos para comprovar o engôdo do embuste marxista !

    Resposta
  • 25 de novembro de 2019 em 14:14
    Permalink

    Oras , tá fácil resolver as angústias de certos colombianos descontentes com o capitalismo, basta atravessar a fronteira de ir para a vizinha Venezuela, um paraíso marxista !

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *