Artigo – Por que o Wikileaks não é uma leitura popular entre os brasileiros e o que ele pode nos mostrar?

Por Oswaldo Bezerra

Foi em 2006 que Julian Assange fundou o WikiLeaks. A ideia desta organização foi de publicar documentos, imagens ou outro material oficial de governos ou empresas que demonstrem corrupção, crime e espionagem. Esta Organização já ganhou todos os prêmios relacionados a Direitos Humanos no mundo.

Com mais de 10 milhões de publicações, o Wikileaks firmou parcerias com pessoas ligadas a organizações estatais ou empresas privadas. São patriotas que se indignam com os crimes cometidos pelas intituições onde trabalham. Por isso, os EUA colocaram o fundador da organização como seu inimigo número 1. A prisão de Assange foi um recado de que a pessoa que apontar crimes dos governos ou de corporações será duramente castigada.

A organização de Assange não faz análises de materiais, mas sim disponibiliza ao público em geral os documentos originais. Já foram revelados presidentes espionados pelos EUA, manual de torturas do Pentágono, corrupção de governos, assassinatos de civis inocentes e jornalistas por soldados americanos, abusos de poder, casos de corrupção e outros crimes.

O que o Wikileaks tem revelado sobre o Brasil? Assange revelou que é ingênuo pensar que os países mais espionados da América Latina sejam Cuba e Venezuela. O país mais espionado é o Brasil. Fato este mencionado anteriormente pelo Almirante Oton. Apesar de possuir a terceira maior reserva medida de petróleo do mundo, não é apenas pelo hidrocarboneto que o Brasil seja o país mais espionado pelos norte americanos. É por sua imensa e vasta riqueza econômica.

Documentos vazados do cônsul-geral dos EUA mostrou políticos brasileiros que, sob propinas norte-americanas, passam informações confidenciais à embaixada estadounidense. O ex-presidente Michel Temer é um citado como informante.

Como são documentos oficiais de governo e empresas é de difícil leitura e de entendimento. Além disso, são muitos e vastos. Por isso o público é avesso a sua leitura. Cabe assim a jornalistas interpretá-los e repassar ao público. Como a maioria da imprensa é uma máquina de propaganda, das corporações, não há o interesse em sua divulgação.

Quais são suas últimas revelações? Vamos destacar algumas. Por exemplo, a derrota de Hillary Clinton (com 85% de intenções de votos) foi devido à atuação criminosa da Cambridge Analityca. Este se aproveitou ao máximo dos correios eletrônicos da ex-candidata a presidente para John Podesta. Mensagens estas hackeadas (provavelmente pelo serviço secreto russo) e divulgadas pelos Wikileaks. Nela se observa a criação de grupos terroristas pelo governo dos EUA. Também nestes e-mails haviam estranhas alusões a sociedades secretas, e sacrifícios a divindade Moloch (divindade que exigia sacrifícios de bebês).

Dentre essas novas revelações “o grande firewall da Austrália” se revelou como o maior programa de censura na internet, de todo o planeta. A liberdade está comprometida e os cidadãos australianos só ficaram sabendo através do Wikileaks.

O wikileaks revelou que todos os microfones, tanto de laptops como de smartphones, lhe escutam, mesmo quando estão desligados. Caso detectem alguma palavra de produto, você será bombardeado por anúncios de internet. Os correios eletrônicos, suas mensagens de facebook, de whatsapp, chats, twitter, fotografias e postagens também são indiscriminadamente espionadas. O governo dos EUA tem convênio com estas empresas.

Já eram de conhecimento público as agências de espionagem norte-americanas como o FBI (uma polícia federal), a CIA (serviço de inteligênica internacional) e o NSA (serviço de inteligência nacional). O NSA foi de onde Snowden pegou informações e divulgou através dos jornais “The Guardian” e “Washington Post”. Este ano de 2019, o Wikileaks revelou uma agência de espionagem muito mais poderosa e mais profunda e, que ninguém sabe quem a controla. Foi assim por vazamento da organização de Assange revelou a existência do NSA.

O presidente americano Donald Trump a chama de “Deep State” (estado profundo). Esta misteriosa organização tem poder de vigiar o planeta inteiro. Na semana passada, a imprensa corporativa americana confirmou a existência do “Deep State” e também sinalizou que ela está em guerra contra o presidente americano. O Deep State está criando a proliferação de bots (aplicação de internet que simula ação humana) e inteligência artificial capaz, por exemplo, de identificar uma palavra sua, escrita nas redes sociais, que possa colocá-lo como alvo de eliminação.

Mais espantoso ainda é o plano tecnológico da China para 2020. Neste plano haverá, além de toda a espionagem por redes sociais, reconhecimento facial e de voz. As pessoas serão vigiadas o tempo todo. Nesta empreitada tudo será avaliado, até mesmo se você fizer uma piada sobre o governo você perderá pontos, será tipo uma avaliação do UBER.

Perdendo pontos você terá dificuldade, por exemplo, para tirar passaporte, carteira de habilitação, conseguir empréstimos para casa própria, ter direitos a serviços sociais até seguro médico. O sistema de pontuação do cidadão, com certeza, vai se espalhar por todo o mundo. Sem o wikileaks nem saberíamos disso.

Conhecimento como estes revelados pelo wikileaks nos causam espanto e tristeza. Talvez por isso muit a gente prefira viver no mundo da ilusão criada pelas mídias financiadas pelas grandes corporações. Para quem prefere saber da verdade o WikiLeaks continua a desenvolver sua atividade, sem fins lucrativos. Vive de doações. O bloqueio econômico imposto pelos EUA a empresa se utiliza das empresas Visa, Mastercard, Paypal e Bank of America como barreira para captação de dinheiro. Mesmo com toda esta dificuldade o porta-voz da entidade, Kristinn Hrafnsson, assegurou que a Organização não vai terminar.

RG15/O Impacto

2 comentários em “Artigo – Por que o Wikileaks não é uma leitura popular entre os brasileiros e o que ele pode nos mostrar?

  • 29 de novembro de 2019 em 22:43
    Permalink

    Hilary com 85% de intenções de votos….. kkkkk até parece que houve influencia estrangeira e o Americanos são sem noção influenciáveis. Papo de perdedores! Morre Lula!!!

    Resposta
  • 28 de novembro de 2019 em 07:31
    Permalink

    Então somente os americanos espionam o Brasil? China, Rússia, nem pensar ! KKKKKKKK, é impressionante a visão vermelha desse articulista. Em qualquer país, o cidadão expor segredos de estado, é crime grave; que vá fazer isso na China, Coreia do Norte, Cuba, etc para ver o que acontece, onde vão parar seus “direitos humanos”. Aliás, o traidor Julian Assange nunca revelou nada dos governos da China, da Rússia ou de Cuba, mostrando sua verdadeira face, comunista !

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *