Fraude contra a Casa da Moeda gera indisponibilidade de bens de R$ 2,2 bilhões

O Tribunal de Contas da União (TCU) realizou, sob a relatoria do ministro Aroldo Cedraz, acompanhamento na Casa da Moeda do Brasil com o objetivo de analisar as ações de contratação de serviços técnicos para implementação do Sistema de Controle de Bebidas (Sicobe) e para contratação do Sistema de Rastreamento e Controle da Produção de Cigarros (Scorpios).

De acordo com o Órgão, a fiscalização foi levada a efeito em razão de duas operações da Polícia Federal: Vícios e Esfinge. Ainda de acordo com a Corte de Contas, foram determinadas oitivas nas empresas Sicpa Brasil e Ceptis Indústria e Comércio, que tem 15 dias para apresentar justificativas sobre as evidências de fraude às licitações.

O TCU decretou, cautelarmente, pelo prazo de um ano, a indisponibilidade de bens das empresas para garantir o ressarcimento do débito em apuração, em valor original da ordem de R$ 2,2 bilhões, ressalvados os bens para a manutenção das atividades operacionais.

RG 15 / O Impacto com informações do TCU

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *