Artigo – O segredo dos países ricos para solucionar um grave problema moderno

Por Oswaldo Bezerra

Ontem, a repórter da TV Impacto Lorena Morena foi até o bairro do Amparo, em Santarém, para mostrar como partes da cidade urgem pela atenção administrativa municipal com urgência. Seja Santarém, Fortaleza, Londres ou Istambul a administração de cidades é sempre muito difícil, ainda mais quando os recursos financeiros são limitados.

Na Europa, mesmo com recursos financeiros disponíveis, as empresas de administração de serviços para as cidades estão sendo re-estatizadas. O motivo é que o modelo privado, com foco no lucro, não está dando certo. Dentre estes serviços estão os relacionados ao lixo. Lembro de minha infância, em Belém do Pará, quando a produção de lixo semanal da minha família era igual ao que hoje (mesmo número de pessoas) produzimos em apenas um dia.

Por isso, os países desenvolvidos estão muito preocupados com a questão do acúmulo de lixo. No entanto, eles acham que finalmente encontraram a maneira mais responsável, ecológica e solidária para resolver este tipo de problema. A solução foi a de enviar o lixo para outras nações, as mais pobres.

No Brasil há busca de soluções como em Fortaleza, por exemplo, que criou o Ecoponto. Atualmente são 48 espalhados pela cidade. Ecoponto é onde os moradores podem descartar lixo, de forma seletiva, em troca de descontos na conta de luz ou créditos no transporte coletivo. As nações ricas estão descartando seu lixo também de forma seletiva. É como se eles reciclassem deste jeito: um jornal velho, vamos mandar para a China; uma garrafa velha vamos mandar pro Vietnã; pilhas, não sabemos o que fazer, vamos mandar para a Índia; resto de químicas da cerveja alemã, não dá pra reciclar, vamos mandar pro Brasil.

Parece uma piada, mas é deste modo que uma descomunal quantidade de lixo, das nações industrializadas, tomam destino. Assim os países como Canadá, Alemanha, EUA, Reino Unido, França, Bélgica, Holanda, Austrália mantêm limpas suas cidades. Eles varrem seu lixo para debaixo dos tapetes dos países pobres.

Inicialmente, isso foi propagado pela mídia corporativa como um pacto que beneficiava a todos os países. A ideia seria de mais empregos e menos lixo. Parecia mesmo ser assim. Até que descobertos que a maior parte deste lixo continha, na verdade, material não reciclável. São materiais impossíveis de processar, e que colocavam em risco a saúde das pessoas dos países ricos.

Por causa disso, os países importadores de lixo iniciaram uma rebelião. O primeiro foi a China, que depois de se desenvolver, não solucionava mais nem o problema do seu próprio lixo, quanto mais os dos outros. No ano de 2018, a China proibia a importação de lixo. Malásia e Filipinas também estão devolvendo o lixo não reciclável para as nações de origem.

O presidente Filipino ameaçou o Canadá em descarregar o lixo nas costas do país caso não fosse recebido de volta. O Canadá pediu mais tempo. O país norte-americano argumentou que as milhares de toneladas de lixo saíram de seu país sem conhecimento das autoridades. Mais fácil acreditar na estória do Boto.

O Camboja também começou a devolver lixo para os EUA. Ao contrário, países da América do Sul como Brasil e Argentina (link 5) vão na contramão da tendência dos países importadores de lixo. Assim, seus políticos lutam para garantir por Lei a importação de lixo, dos países ricos, mesmo que este material seja perigoso a saúde das pessoas e sem possibilidade de reciclagem.

A verdade é que temos agora um grave problema global. Talvez, não tenhamos mais uma solução para o lixo, nem mesmo reciclando. O motivo está na origem. O lixo está sendo gerado por um modelo de consumo irracional e insustentável. Todo o mundo já está a par desta situação. Pena que as nações desenvolvidas consolem, seus próprios cidadãos, cuidando do meio ambiente deles a custo dos meio ambiente dos outros.

RG15/O Impacto

Um comentário em “Artigo – O segredo dos países ricos para solucionar um grave problema moderno

  • 4 de dezembro de 2019 em 16:26
    Permalink

    Que papo furado ! Os países desenvolvidos estão transformando o lixo em adubo e reutilizando o material reciclável. Todo assunto vc transforma em luta do fracassado socialismo X capitalismo, não se atualizou e somente instila veneno. Realmente tem que ir morar em Cuba ou Venezuela, afinal por lá não há produção de nada e ninguém come, logo não produzem lixo !

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *