Artigo – A extrema-unção do Petrodólar, que descanse em paz!

Por Oswaldo Bezerra

A palavra petrodólar foi criada pelo economista Ibrahim Oweiss. Para ele, era um termo que caracterizava a crise do petróleo, e o intenso fluxo de capitais em direção às economias dos países produtores. O petrodólar foi estabelecido em 1971, quando a moeda dos EUA passou a monopolizar o comércio internacional, por meio de acordos, com a Organização de Países Exportadores de Petróleo (OPEP), e por constantes intervenções militares.

Sadan Hussein tentou vender seu petróleo em euros e foi assassinado. Muammar al-Gaddafi também tentou negociar petróleo em euro, e também foi assassinado. Muitos países também tentaram negociar petróleo em outra moeda, mas não tiveram êxito. Os EUA obrigavam a que todos os países fizessem negócios de petróleo, exclusivamente, com dólares. Assim a moeda norte-americana se valorizava.

Até que a China iniciou uma negociação, de comércio de petróleo, com a Europa com base em Yuans, lastreado em ouro. A Europa se mostrou muito eufórica, mas a China gosta de fazer as coisas de maneira sutil e bem pensada, de maneira lenta e gradual. Diferente de Iraque, Iran e Líbia, o gigante asiático não é um produtor de petróleo e sim um consumidor. Sendo um cliente, vale a máxima de que o cliente sempre tem razão. A China não é apenas um importador de petróleo, é o maior importador do mundo.

Você pode pensar, mas usar Yuan, e os problemas de desvalorização da moeda? Ai está o pulo do gato. A China colocou os Yuans lastreados em ouro. E o ouro sim, é um ativo paupável. A palavra chave é desdolarização. O Irã começou a vender petróleo em yuan. Foi em 2017, em resposta às sanções dos EUA, um membro da OPEP. A Venezuela, também começou a cotar o preço do petróleo na moeda chinesa. Ao mesmo tempo, a China continua pressionando a Arábia Saudita para fazer o mesmo.

O Kremlin anunciou que vai criar uma nova criptomoeda aprovada pelo Estado, e apoiada pelo ouro. O objetivo desta moeda é permitir o livre intercâmbio entre o criptorublo e o rublo, e reduzir a dependência das moedas estrangeiras.

Por falar na Rússia, foi finalizado o oleoduto ligando o maior produtor de petróleo do mundo, a própria Rússia, e o maior consumidor de energia, a China. As operações já foram iniciadas. O oleoduto, que cruza 2,7 mil quilômetros entre a Sibéria e a província de Daqing, no nordeste da China, vai permitir o aumento do comércio de petróleo entre os dois países. Definitivamente, o petrodólar está morto!

RG15/O Impacto

Um comentário em “Artigo – A extrema-unção do Petrodólar, que descanse em paz!

  • 8 de dezembro de 2019 em 21:17
    Permalink

    Kadaffi mal produzia petróleo e exportava quase totalmente para Itália e França. A Venezuela deve 55 bilhões de dólares em petróleo para a China (dólares, não yuan), o petrodólar está morto assim como o próprio petróleo também está. Essas moedas tipo yuan só tem algum crédito se for lastreado em Ouro, se não não tem valor algum.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *