Artigo – A pantomima econômica natalina

Por Oswaldo Bezerra

A política econômica internacional hoje se volta ao tema da desdolarização e desglobalização. O mundo está se dividindo de várias formas. Quando nos aprofundamos neste assunto, observamos as forças econômicas por trás de tudo. Para esconder isso, a grande mídia nos dá um remédio diário de farsas ou desinformação (pantomima), administradas diariamente.

 

Já podemos observar pelas ruas da cidade o famoso papai noel. Estamos na época da pantomima das pessoas que tentam convencer que, um velhinho em seu trenó, percorrerá todo mundo distribuindo presentes. Essas coisas parecem que estão crescendo bastante. Da mesma maneira, na semana passada, Donald Trump disse que Argentina e Brasil estão manipulando suas divisas. Por isso, os EUA estão sobretaxando o aço e o alumínio destes países.

 

Os EUA estão colocando estas taxas por causa de problemas de divisas, e também por conta da desdolarização em todo o mundo. Muitos países, como a Argentina, estão questionando o uso do dólar como divisa de reserva. O que os EUA estão acelerando o processo de desdolarização com as sobretaxas.

 

Trump também disse está esperando que a Reserva Federal imponha tipos de juros negativos. Nos anos 30 os EUA confiscaram ouro. Agora os EUA querem confiscar valores através dos tipos de juros negativos. Deste modo, valores serão extraídos diretamente das contas bancárias.

 

A Argentina, através do neoliberal Macri, obteve um empréstimo de 50 bilhões de dólares do FMI. Seria um absurdo se este país desvalorizasse o peso propositalmente em 50%, por que isso seria na realidade uma duplicação da sua dívida. O economista Willian Lastrapp diz que dívidas são irrelevantes. Já o presidente da Reserva Federal de Dallas afirma que aumentar a dívida com mais dívida causará um grave problema econômico.

 

As pantomimas natalinas não se encerram com Trump. O The Wall Street Journal destacou que estão enfeitando com luzes e motivos natalinos as lojas fechadas da Quinta Avenida. Ficaria feio para os turistas imaginarem que a Quinta Avenida está povoada de lojas vazias. Comércios estão sem recursos para pagar aluguel, e os trabalhadores sem dinheiro para comprar.

 

Outra pantomima vem ali de perto, em Wall Street. Lá os gráficos da taxa do preço-benefício do S&P 500 crescem, ao mesmo tempo, em que os benefícios por ação caem. É um mercado sem benefício nenhum. Os benefícios estão caindo por causa da desglobalização e desdolarização. Tudo que usavam para ganhar dinheiro fácil desapareceu como, por exemplo, os picos do petróleo.

 

Outra grande pantomima são as “divisas fiat”, o dinheiro por decreto. O líder da Eslováquia sugeriu que não se pode confiar no Reino Unido quando se relaciona ao ouro. Por isso este país está em processo de repatriar seu ouro. O uso da palavra confiança, pelo líder eslovaco, sugere a desglobalização pela falta de confiança com os sócios comerciais. Desde a Segunda Guerra Mundial e depois que o Reino Unido vendeu ouro a preço baixo, incentivou a outros países a não fazer reservas com o metal.

 

Tudo mudou no ano passado quando os Bancos Centrais se converteram compradores de ouro. Hoje continuam a aumentar suas reservas de metal dourado. Em uma rapidez incrível muitos países estão também repatriando ouro. Só possui ouro realmente quem os tem em sua propriedade.

 

No seu livro, “Dívida, uma história alternativa da economia”, David Graeber afirma que, quando uma desconfiança brilha por sua ausência, o ouro ganha força. Assim já podemos observar que não são apenas China e Rússia que estão acumulando ouro. A Alemanha já repatriou a maioria do seu ouro, que ficava em Nova York. Outros países também repatriaram seu ouro como Polônia, Holanda, Hungria, e agora a Eslováquia. Há uma desconfiança que o Reino Unido se aproprie do ouro como fez com a Venezuela.

 

Grande parte das reservas de ouro dos países europeus foram parar nos EUA e no Reino Unido. Foi por conta da ameaça de Hitler. Hoje os países europeus sentem desconfiança dos EUA e do Reino Unido, por isso querem seu ouro de volta. O ouro tem valor por si mesmo, ao contrário do dinheiro fiat que não tem valor nenhum. Segundo muitos economistas o bitcoin também possui valor por si mesmo.

 

Por isso, junto ao ouro o bitcoin faz parte da preparação dos países para uma presumível caída do dinheiro fiat. Acredita-se que haja no mundo 7 bilhões de onças troy de ouro (31,10 gramas). O Valor da onça troy está em torno de 1.500 dólares. Estima-se que a reserva mundial equivale a uma onça troy por pessoa. Seria uma maravilhosa maneira de distribuir a riqueza.

RG15/O Impacto

Um comentário em “Artigo – A pantomima econômica natalina

  • 13 de dezembro de 2019 em 07:50
    Permalink

    Pantomina é o que ocorre nos países comunistas, naquele faz de conta que um dia todos terão o paraíso, quando dividirão a grana pública igualmente; mas quem leva a grana embora para algum país capitalista é o ditador, fantasiado de papai noel, que deixa pra trás um povo acreditando em fantasias imaginadas por um tal Karl Marx !

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *