DH coloca atrás das grades acusados de matar jovem no Santarenzinho

Delegacia Especializada de Homicídios, da 16ª Seccional de Polícia Civil, desvendou mais um caso. Desta vez, o crime investigado inicialmente como homicídio qualificado, tornou-se latrocínio, cuja vítima, André Mota Pereira foi encontrado morta com sinais de espancamento na região da cabeça, no dia 1º, na Rua Jader Barbalho, bairro do Santarenzinho.

O jovem de uma comunidade da zona rural de Santarém veio à cidade para passar o Réveillon com familiares e amigos. Quando nas primeiras horas do novo ano, foi espancado até a morte em plena via pública.

De acordo com o delegado Gilvan Almeida, foram três pessoas que participaram do bárbaro crime, um adolescentes e dois indivíduos maiores, que são irmãos.

“As investigações iniciaram com o plantão da Seccional, na pessoa do delegado Lucivelton Ferreira, que esteve no local, realizando o levantamento das primeiras informações. Em seguida, a equipe da Delegacia de Homicídios caiu em campo, dando continuidade nas apurações. Recebemos informações diversas, ouvimos muitas pessoas. Com isso, inclusive com imagens de câmeras de segurança, fomos reconstruindo a cena do crime. Essa investigação que iniciou como homicídio qualificado, acabou desaguando realmente no latrocínio, tendo em vista que a intenção, apurada na investigação, era a subtração pelos autores, dos bens da vítima, que seria um boné e um celular. Acontece, que no momento que a vítima foi abordada por um deles, ela trazia consigo uma pequena faca, e com esse instrumento reagiu a esse assalto, inclusive, acabou lesionando um dos autores na mão, que de uma forma totalmente desproporcional passou a agredir a vítima com paulada e pedradas até a morte”, informou o delegado titular da Delegacia Especializada de Homicídios.

Para o Diretor da 16ª Seccional de Polícia Civil, Germano do Vale, a elucidação do crime contou, além da dedicação dos agentes da polícia judiciária estadual, com a participação da imprensa e da população.

“A equipe da Delegacia de Homicídios conseguiu diligenciar e chegar até os autores, bem como a motivação para o bárbaro crime. A nossa resposta a sociedade é está. Queremos ainda agradecer à imprensa, que nos ajuda trazendo e levando informações, auxiliando o trabalho policial. Também entendendo, com advento da nova lei de abuso de autoridade, muitas vezes fica impossibilitado de receber outros tipos de esclarecimentos, por já está inserido na lei. São crimes que não se restituem a vida, que é o nosso maior bem. Mas com trabalho dedicado identificamos os autores, solicitado o pedido de prisão ao Judiciário com anuência do MP, e ao final, a prisão, que é o coroamento desse trabalho todo que é feito pela Delegacia de Homicídios, com louvou, ao comando do delegado Gilvan Almeida, que recentemente assumiu, vindo para somar e está aí mostrando o nosso trabalho, o trabalho da Polícia Civil, com o apoio da Superintendência, que é o apoio material e recursos, que estão a altura para prestar o serviço de identificação, pedido de prisão e  a prisão propriamente dita”, disse Germano do Vale.

MULHER É BRUTALMENTE ASSASSINADA NO BAIRRO SANTO ANDRÉ: O corpo de Elen Cristina foi localizado na manhã de domingo (19), com sinais de espancamento, na rua Portugal próximo à avenida Edvaldo Leite, no bairro Santo André.

De acordo com informações, a vítima apresentava ferimentos na região da cabeça.

Após apuração que contou com trabalho do serviço reservado da PM, Antonio Marcos de Oliveira Amorim, 23 anos, vulgo Moicano, foi preso suspeito de matar Elen Cristina.

De acordo com informações, ele e a vítima estavam consumindo bebida alcoólica e droga, quando houve um desentendimento entre os dois. Momento que Antonio acabou utilizando um tijolo para desferir os golpes que culminaram na morte de Elen, cujo o corpo foi desovado em um terreno no bairro Santo André.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *