Prefeita de Almeirim teria descumprido decisão judicial ao nomear pai

Parece mesmo que o caos tomou conta da gestão da prefeita Adriane Bentes, no município de Almeirim, oeste do Pará. Depois de ser denunciada na Polícia Civil por supostamente ter agredido uma estudante, de acordo com denúncias recebidas por nossa reportagem, a gestora pouco tem aparecido em seu gabinete para despachar. Ainda de acordo com os denunciantes, quem ocupa a cadeira de Adriane Bentes, é o seu pai, Aracy Bentes, ex-prefeito do município, condenado por improbidade. Acontece que a ocorrência, que tem se tornado rotina, está sendo apurada pelo Ministério Público Estadual, na pessoa da Promotora de Justiça em exercícios em Almeirim, Olívia Roberta Nogueira de Oliveira.

O procedimento visa apurar denúncia de descumprimento de decisão judicial por parte do ex-prefeito, que teria assumido cargo de Secretário Especial de Governo na Prefeitura de Almeirim. As continuidades das diligências preveem requisição à Prefeitura, de cópias das portarias, decretos e do livro de registros de Portaria e Decretos expedidos pela prefeita Adriane Bentes, no período de Janeiro a Junho de 2019.

AMEAÇAS A SERVIDORES: Em 2017, a gestora supostamente gravou áudios em um aplicativo de mensagens instantâneas. As gravações mostravam a maneira como a prefeita Adriane Bentes, trata os servidores da Prefeitura. Em tom ameaçador, ela mostra seu lado maquiavélico, proibindo seus secretários e outros servidores a terem contato com os vereadores sem sua autorização.

Em determinado momento da gravação, possivelmente realizado pela Prefeita, são expostas de forma ameaçadora, as consequências de quem descumprir suas ordens e determinações – demissão sumária.

“Bom dia a todos, está iniciando mais uma vez a sessão na Câmara de Vereadores, e eu vou deixar bem claro aqui, mais uma vez, sendo que essa é a última vez que vou falar. O Secretário, ou a pessoa que faz parte do governo, que não acompanhar o governo, e ficar de ‘nenhem-nhem-nenhem’, de papinho com Vereador da oposição, vai tá fora, vai tá na rua. Porque ou você é governo e veste a camisa, ou você tá fora. Eu não vou mais admitir, já estou sem paciência. Eu quero tudo mundo divulgando, eu quero todo mundo participando e apoiando o governo, afinal de contas, tá todo mundo trabalhando. Muitos queriam estar no lugar de vocês! Todos viram a quantidade de demissões que fizemos, e então, não alinhou, ficou de papo furado com Vereador do contra, tá na rua! Eu não vou mais admitir”, teria dito a Prefeita.

Conforme constava nos áudios massivamente divulgados, e que causou muita polêmica sobre a gestão municipal, a Prefeita cobra que os servidores e secretários comuniquem ao gabinete viagens que forem fazer para fora do Município. Até aí nada demais. No entanto, o que chocou os servidores foi a forma que ela expôs sua equipe de governo. “Bom dia a todos. Não é para sair Secretário nenhum de Almeirim, sem a minha autorização, viu! Ainda mais para ir para Macapá ou qualquer outro lugar. Eu quero saber de tudo. Eu já avisei vocês, o gabinete tem que ser informado de toda e qualquer saída de vocês do Município. Eu quero saber o que vai fazer em Macapá, o que o Secretário de Educação, o que cada Secretário está fazendo”, supostamente disse Adriane Bentes.

INSATISFEITOS: Segundo informações, desde que assumiu a gestão municipal de Almeirim, Adriane Bentes, de 30 anos – filha do ex-prefeito Aracy Bentes, condenado por improbidade administrativa -, vem dando uma verdadeira aula de como não fazer gestão municipal. Escândalos recorrentes e erros em vários setores do governo resultaram em desavença e quebra de alianças, que tiveram consequências graves sobre a governança, traduzindo-se no momento difícil vivenciado por Adriane Bentes.

Outra insatisfação do funcionalismo público são os constantes atrasos no pagamento da folha de pessoal.

NEPOTISMO: Ainda de acordo com informações, a nomeação de vários parentes da Prefeita para cargos de confianças, onde os salários são os maiores da estrutura administrativa do Município, também é motivo de revolta por parte da população.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *