Secretário executivo da Casa Civil é destituído por usar avião da FAB

O secretário executivo da Casa Civil, Vicenti Santini, foi destituído do cargo pelo presidente Jair Bolsonaro. Santini usou um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) para ir de Davos, na Suíça, onde participou do Fórum Econômico Mundial, para Nova Delhi, na Índia, onde se reuniu com a comitiva presidencial, durante visita de Estado de Bolsonaro ao país.

Santini ficou na função de ministro interino durante as férias do ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, e optou por usar o avião da FAB, enquanto outros ministros viajaram com companhias aéreas comerciais.

“Inadmissível o que aconteceu. Já está destituído da função de executivo do Onyx, decidido por mim”, disse Bolsonaro ao chegar hoje (28) ao Palácio da Alvorada, depois de desembarcar em Brasília da viagem à Índia. O presidente disse ainda que vai conversar com o ministro Onyx para ouvir os argumentos e ver quais outras medidas podem ser tomadas. Por enquanto, Santini continua no governo.

“O que ele fez não é ilegal, mas é imoral. Ministro antigo foi de comercial, de classe econômica. Eu já viajei, no passado, pela Ásia toda de comercial, classe econômica. A explicação é que ele teve que participar da reunião de ministros por isso a premissa [de usar o avião da FAB como ministro]. Essa desculpa não vale. Ele deixa de ser executivo da Casa Civil”, disse o presidente.

Fonte: Agência Brasil

3 comentários em “Secretário executivo da Casa Civil é destituído por usar avião da FAB

  • 30 de janeiro de 2020 em 07:34
    Permalink

    Grande “”otoridade”” requisitando avião da Força Aérea, a velha máxima: macaco que nunca comeu mel, se lambuza quando o encontra !

    Resposta
  • 29 de janeiro de 2020 em 14:48
    Permalink

    Acabar com abusos? Se é assim, por que ainda ele ainda não demitiu o chefe da SECOM, que tem conflito de interesse entre seu serviços e sua empresa de propaganda?

    Resposta
  • 28 de janeiro de 2020 em 23:08
    Permalink

    Muito bom, Presidente ! Tem mesmo que acabar com esses abusos !

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *