Coronavírus: governo decide buscar brasileiros que estão na China

O governo brasileiro decidiu repatriar os brasileiros que estão na província de Hubei, especificamente na cidade de Wuhan, na China, epicentro da epidemia do coronavírus. Neste domingo (02/02/2020), o Itamaraty e o Ministério da Defesa informaram, em nota, que as medidas necessárias para trazê-los de volta ao Brasil já estão sendo tomadas. As pastas avisaram, também, que todos terão que passar por um período de quarentena.

“Serão trazidos todos os brasileiros que se encontram naquela região e que manifestarem desejo de retornar ao Brasil”, diz a nota. “Assim que chegarem ao Brasil, eles deverão ser submetidos a quarentena, de acordo com procedimentos internacionais, sob a orientação do Ministério da Saúde”, completa.

Operação
“Os detalhes da operação, que está sendo planejada, serão informados posteriormente. A Embaixada do Brasil em Pequim entrará em contato para prestar informações e organizar os procedimentos cabíveis”, ressalta a nota.

O Itamaraty e a Defesa ainda destacaram que duas brasileiras, que se encontravam em Wuhan e também possuem nacionalidade portuguesa, embarcaram em voo francês que transportou cidadãos da União Europeia. Elas farão quarentena em Portugal.

Apelo
A decisão do governo se dá no mesmo dia em que um grupo de brasileiros que está em Wuhan divulgou um vídeo endereçado ao presidente Jair Bolsonaro e ao ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, pedindo ajuda para ser retirado imediatamente da China.

No vídeo de seis minutos, publicado na manhã deste domingo, aparecem várias pessoas lendo uma carta conjunta na qual afirmam não estarem infectadas pelo coronavírus. Pontuaram o desejo de deixar a cidade – que passa por uma epidemia da doença – e, por fim, se disseram dispostas a cumprir quarentena no Brasil ou em outro lugar que as autoridades locais de vigilância epidemiológica considerem adequado.

Repatriação
Na sexta-feira (31/01/2020), o presidente Jair Bolsonaro afirmou que o retorno dos brasileiros estaria condicionado à criação de uma lei de quarentena e à aprovação de recursos no Congresso Nacional. “Se não tivermos [o procedimento da quarentena] redondinho no Brasil, não vamos buscar ninguém”, sentenciou.

“Seria uma irresponsabilidade quem porventura decidir retirar pessoas que vêm dessas regiões afetadas da China para cá. Se lá temos algumas dezenas de vidas, aqui nós temos 210 milhões”, disse.

Apoio do Congresso
Também neste domingo, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), disse que a busca dos brasileiros que se encontram isolados na China, devido à epidemia de coronavírus, não depende de leis, mas sim de uma decisão que teria que ser tomada pelo governo brasileiro e que terá, segundo, amplo apoio do Congresso Nacional.

A recomendação do governo chinês é a de que cidadãos estrangeiros em quarentena na cidade de Wuhan fiquem onde estão, mas se desejarem sair do país, o governo garante oferecer a ajuda necessária.

Fonte: Portal Metrópoles

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *