Grupo Técnico de trabalho em combate ao coronavírus reúne para definir o fluxo de atendimentos em Santarém

Mesmo sem casos confirmados de Covid-19, o Grupo Técnico de trabalho em combate ao coronavírus formados por órgãos de saúde da Prefeitura de Santarém e Governo do Estado do Pará segue com ações para contribuir na prevenção e cuidados com a pandemia que assola o mundo. Na manhã desta quarta-feira (18), o grupo reuniu no auditório da Sespa para definir o fluxograma de atendimento e estratégias para evitar expansão de casos na região norte, visto que o estado do Amazonas já confirmou caso da doença.

A secretária de Saúde, Dayane Lima, falou da importância da reunião e reforçou que as Unidades de Saúde são a porta de entrada para a triagem de pessoas que tenham dúvidas de seu estado de saúde. “Sabemos da grande importância de alinhamentos como esse, para que toda a nossa rede de atendimetnos de saúde, tenha a clareza do fluxo de atendimento para suspeitas de coronavírus. Reforçamos que os atendimentos iniciais começam em forma de triagem nas Unidades Básicas de Saúde e as pessoas sentindo os sintomas da doença, devem procurar a Unidade de Saúde mais próxima de sua casa, para a avaliação dos profissionais de Saúde, que irão orientar sobre as atitudes necessárias e se o caso é para encaminhamento para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), Hospital ou isolamento domiciliar”, explicou.

De acordo com a diretora da 9ª Regional de Saúde da Secretaria de Estado de Saúde Pública do Pará (9ª Regional da Sespa), Marcela Tolentino. “Temos todo um plano de contingência, o Hospital Regional do Baixo Amazonas vai atender os pacientes graves, que serão sempre triados pelas Unidade de Saúde, onde vai acontecer a análise preliminar para ver se o paciente vai para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), ou para o Hospital. Os dados estatísticos, de pesquisas, mostram que é uma minoria que vai precisar ser internada em Hospital de Alta Complexidade. Então, o HRBA está estruturado para receber pacientes graves”, afirmou.

Na reunião foram repassadas orientações para médicos, infectologistas, profissionais das vigilâncias sanitárias e demais profissionais da saúde pública do estado e município. Foi  informado também que a Sespa  já realizou  capacitações para todas as coordenações da Atenção Básica, não só de Santarém, mas de todos os 20 municípios, 14 do Baixo Amazonas e seis do Tapajós, vigilância epidemiológica, e que foram feitos contatos com todos os hospitais da rede, onde foram realizados treinamentos, para não sobrecarregar o serviço púbico, reforçando o compromisso de toda rede de assistência.

Em relação a portos e aeroportos, o Estado e o Município estarão parceiros com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Ainda que as responsabilidades desses locais sejam da Anvisa, as autoridade de Saúde de Santarém e do Pará irão ajudar no monitoramento das pessoas que utilizam embarcações na região.

Os navios internacionais já passam por vigilância tanto no porto de Belém, quanto em Manaus chegando Santarém já fiscalizados. Contudo, os navios regionais, principalmente oriundos de Manaus receberão atenção redobrada dos órgãos.

Concluindo, Marcela Tolentino reafirmou que Pará não há nenhum caso de coronavírus. As reuniões continuarão ocorrendo e uma vez ao dia será emitido um Boletim informativo a respeito. “Reforço que tanto o município quanto o estado estão trabalhando com muita seriedade e que a autoridade máxima, para dar todas as informações é a Sespa, em consonância com o município.”

Por Agência Santarém

RG 15 / O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *