PREFEITO DE PRAINHA IMPEDE ENTRADA DE VENDEDOR DE GÊNERO ALIMENTÍCIO

O município de Prainha publicou no dia 3 de abril, o Decreto nº 14/2020, em que no artigo 2º, inciso VII, determina: “SUSPENSÃO DO EMBARQUE E DESEMBARQUE DE PASSAGEIROS NOS PORTOS DO MUNICÍPIO DE PRAINHA, BEM COMO ENTRADA E A SAÍDA DE TRANSPORTE COLETIVOS TERRESTRE”. Com base nesse inciso o município tem impedido a entrada de vendedores na cidade, cujo produto é de gênero alimentício, de primeira necessidade.

Ocorre que a prefeitura deve ter o bom senso na hora de impedir o embarque e desembarque, já que impede inclusive os vendedores de produtos de primeira necessidade como gêneros alimentícios de entrar cidade, ainda que estes estejam utilizando todo o EPI necessário para proteção. Tal medida se mostra arbitrária, já que caso não sejam feitos pedidos de venda nessa cidade, a cidade vai deixar de ser abastecida de produtos de gêneros alimentício.

Não há proibição de comercialização de produtos de primeira necessidade pelo próprio município, tampouco pelo Estado ou União, portanto, o impedimento se mostra ilegal e arbitrária.

Além disso, a entrada de vendedores devidamente equipados com EPI, que circularão somente para efetuar pedidos de vendas de produtos de gêneros alimentícios, não implica dano à população residente, já que há transmissão comunitária declarada do vírus, por meio da PORTARIA Nº 454, DE 20 DE MARÇO DE 2020. A proibição de entrada e da circulação dos referidos vendedores na cidade apresenta potencialidade de impedir o acesso pela população a produtos de primeira necessidade, como os produtos de gêneros alimentícios. No caso o prefeito deseja que a população passe fome.

RG 15 / O Impacto

8 comentários em “PREFEITO DE PRAINHA IMPEDE ENTRADA DE VENDEDOR DE GÊNERO ALIMENTÍCIO

  • 9 de abril de 2020 em 08:03
    Permalink

    Mui perigoso o corona, mas quantos presidiários já morreram mesmo ? kkkkkk…

    Resposta
  • 9 de abril de 2020 em 00:03
    Permalink

    Que medida inteligente ! kkkkkkkkkkk, ninguém morrerá doente, mas de fome !

    Resposta
  • 8 de abril de 2020 em 17:23
    Permalink

    Aí vendedor tem q tirar pedido por telefone???….então a entrega tbm tem q ser por telefone né !!!!
    Se Deus quiser vai passar isso …por q se Deus defenda isso continua como vai ser …não vão mais ter nada noa comércios de prainha ???? Por q as mercadorias vão tudo de fora pra lá né …
    Se Deus quiser tbm não vai acontecer nada lá não vai ter ninguém precisando de ajuda pra combater o vírus de lá …por q seria ruim alguém de prainha tentar entrar em Santarém ou até mesmo outras cidades e pegar uma porta fechada né

    Resposta
  • 8 de abril de 2020 em 15:28
    Permalink

    Por acaso esse vendedor nao tem telefone, pra ligar para os clientes daqui de Prainha e fazer suas vendas pelo telefone???

    Resposta
    • 8 de abril de 2020 em 17:26
      Permalink

      Como seria a entrega??? Por telefone tbm ????

      Resposta
      • 8 de abril de 2020 em 17:46
        Permalink

        E qual a forma de vir as mercadorias pra Prainha? Não seria pelas embarcações?
        O envio se daria da mesma forma de sempre… porém neste momento atípico, os pedidos seriam feitos de forma alternativa.

        Resposta
  • 8 de abril de 2020 em 15:06
    Permalink

    Que tal esses vendedores usarem a tecnologia para realizarem suas vendas? Através de WhatssApp por exemplo. Assim, ele continua vendendo, protege a família dele e as famílias prainhenses também.

    Resposta
  • 8 de abril de 2020 em 15:01
    Permalink

    Esse prefeito é comerciante também na cidade de Prainha-PA, os vendedores que atendiam ele quando o mesmo não era Prefeito, são os mesmo que hoje estão sendo barrados, impedidos de exercer seu trabalho, deixando de fazer seu trabalho digno e essencial para a população e para o sustento próprio.
    Seria bom que ao fim dessa pandemia, todos deixassem de fornecer produtos pra esse sem vergonha!
    Vendedor pega estrada, percorre mais de 200km, e logo depois é barrado por esse Prefeito.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *