Artigo – Ouro 2.0: o cavalo mais rápido

Por Oswaldo Bezerra

O mega investidor Paul Tudor Jones mudou sua estratégia para se proteger contra a inflação, que está sendo gerada da impressão de dinheiro do banco central. “A melhor estratégia para maximizar o lucro é possuir o cavalo mais rápido”, disse Jones, fundador e diretor-executivo da Tudor Investment Corp. Seu fundo, o Tudor BVI, pode conter até uma porcentagem baixa de seus ativos em futuros de Bitcoin, mas se torna um dos primeiros grandes gestores de fundos de hedge a adotar o que até agora tem sido amplamente desprezado pelo meio financeiro.

Segundo Jones, US$ 3,9 trilhões, o equivalente a 6,6% da produção econômica global, foram impressos desde fevereiro. Aconteceu globalmente e com tanta velocidade que veteranos do mercado se assustaram. Testemunhamos a Grande Inflação Monetária, uma expansão sem precedentes de toda forma de dinheiro FIAT, como o mundo nunca viu.

Jones considerou várias apostas como ouro, títulos do tesouro, certos tipos de ações, moedas e commodities antes de reconhecer que o cavalo mais veloz era o Bitcoin. A criptomoeda  está dobrando em relação à sua baixa recente em meados de março.

O argumento mais convincente para se possuir o Bitcoin é a próxima digitalização da moeda em todos os lugares, acelerada pelo Covid-19. Segundo Jones, os investidores precisam jogar fora o manual financeiro da década passada e retornar às teorias monetaristas de Milton Friedman e a indicadores da velha guarda, como o suprimento de dinheiro M2.

A recuperação pós-pandemia será diferente que aconteceu após a última crise financeira, em parte porque os balanços dos bancos estão mais fortes agora e o Federal Reserve está permitindo que eles emprestem agressivamente. Embora o atual colapso na demanda impeça que os preços de bens e serviços subam no curto prazo, Jones duvida que o Fed possa impedir que isso aconteça a longo prazo. Os níveis de dívida do governo e das empresas estão explodindo, tornando mais difícil para a economia “digerir” os aumentos nos custos dos empréstimos.

Jones iniciou sua carreira financeira negociando futuros de algodão em meados da década de 1970 como recém-formado em economia pela Universidade da Virgínia. Era uma época de estagflação e de baixa nos mercados de ações. Jones está considerando o Bitcoin como o ouro na década de 70. Ele continua sendo um fã do ouro e previu que poderia subir para US $ 2.400 e possivelmente para US $ 6.700.

A iniciativa de Jones ocorre dias após Warren Buffett, outro mega investidor, definir que não há nada mias interessante na bolsa para investir. Ele tirou bilhões de dólares do mercado de ações. Jefrey Gundlach, que é outro mega investidor, afirmou que os bilhões de dólares que o Tesouro Americano pediu emprestado são em Letras de Tesouro. Jay Powell, presidente da Reserva Federal dos EUA deixou claro que é contra os juros negativos, mas a pressão para que os fundos da reserva federal entrem em terreno negativo aumentará pelo incremento e predomínio do endividamento a curto prazo, os juros negativos são um desastre.

Em 1971, os EUA quebraram e não podiam saudar suas dívidas com o resto do mundo, como escrito nos contratos. Então teve que saldar suas dívidas com dinheiro FIAT (dinheiro sem lastro). Hoje os EUA veem no horizonte os juros negativos. Então o dinheiro FIAT vai perder valor. Como muito bem Warren Buffett entendeu só restam então apenas dois botes salva-vidas: o ouro e o bitcoin.

RG 15 / O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *