Em Brasil Novo, menino de 11 anos é encontrado morto em terreno baldio

O garoto Anderson da Cunha Campos, de 11 anos, que havia desaparecido na última quinta-feira, 11, no município de Brasil Novo, no sudoeste do Pará, foi encontrado morto neste sábado, 13, em um terreno baldio. Um adolescente de 15 anos é o principal suspeito de ter assassinado o menino. O adolescente foi apreendido logo após a descoberta do cadáver do garoto. Em depoimento, ele disse que Anderson teria morrido após cair no chão em uma brincadeira de rasteira.

Na quinta-feira, por volta de 19h, a Polícia Civil da localidade recebeu a informação de que a criança teria saído de casa para brincar na residência de um amigo, localizada na rua Teresina, no bairro Cidade Nova, mas não retornou. Familiares e amigos começaram, então, a divulgar nas redes sociais fotos do garoto pedindo informações sobre o paradeiro dele.

O Conselho Tutelar e Polícia Militar também foram acionados para auxiliar nas diligências com apoio dos demais órgãos, familiares e da população para tentar localizar a criança. No sábado de manhã, a polícia recebeu a informação de que o corpo do menino havia sido achado em um terreno abandonado, perto do local onde havia desaparecido. Foram encontradas lesões na cabeça da criança. Ainda no local, a polícia descobriu pistas que levaram até o principal suspeito do crime, um adolescente de 15 anos.

O suspeito foi localizado logo em seguida e disse aos policiais que Anderson teria caído após levar uma rasteira dada por ele. O menino teria batido a cabeça no chão e começou a convulsionar, desfalecendo em poucos minutos. Com medo de ser responsabilizado pela morte de Anderson, o adolescente pegou o corpo do garoto e jogou por cima do muro do terreno baldio, onde o cadáver foi encontrado.

O adolescente foi apreendido, mas as investigações para elucidar a morte do garoto, inclusive sobre possíveis coautores, ainda estão em andamento. O corpo da criança foi removido e encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) da localidade, onde passará por exames de necropsia para identificar as causas da morte.

Fonte O Liberal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *