Artigo – Dragon Ball: quando a união da filosofia budista com desenho animado gerou uma obra imortal para crianças

Por Oswaldo Bezerra

Era a década de 80, muito preocupado com as disciplinas finais da faculdade eu não tinha tempo de prestar atenção em outras coisas. Contudo, lembro de que quando chegava em casa da Universidade e ligava a TV. Lá estava passando um desenho animado muito diferente dos que eu costumava assistir na minha infância, na década de 70. Por achar esquisito, não dei muita atenção ao representava o desenho “Dragon Ball”, apesar das suas introduções maravilhosas no vídeo abaixo.

Anos depois, já quase um veterano no trabalho, observava os engenheiros novatos que vinham de outros países e que foram adolescentes na década de 80, e de como eles eram fãs daquele desenho animado. Pouco tempo depois, a série foi reprisada na TV e lá estava eu sendo obrigado a assistir todos episódios por minhas duas filhas que ainda eram bem pequenas.

Foi a que descobri por que tanto fascínio daqueles gringos pelo desenho. Ele foi fruto de um mangá japonês do genial autor Akyra Toriyama. A história se baseava na religião budista e no desenvolvimento do Rei Macaco que remontava a “Jornada para o Oeste”.

A famosa “Jornada ao Oeste” foi feita por um monge budista, que buscava resgatar escritos sagrados do Budismo, no ano de 629, na Índia. Estes relatos históricos serviram como guia para escavações dos ingleses centenas de anos depois. O folclore chinês incluiu nesta jornada Su Vukong, o rei macaco, personagem em que o herói de Dragon Ball (Goku) é espelhado.

No desenho, quando o herói nasceu ele era só um macaco. Com o passar do tempo evoluiu de uma forma básica egoísta, ignorante, orgulhosa para um ser divino conhecedor de todas as coisas. Através da redenção ele conseguiu ver o valor de todas as formas de vida. Durante as temporadas de Dragon Ball alguns ensinamentos budistas são passados para a criançada. Dentre eles, podemos citar 15.

Ter em excesso não é bom.

No desenho é ensinado que ter bens materiais demais podem te escravisar. Elses são temporários, um dia deixarão de serem seus.

Treine duro para obter seus objetivos.

Um dos principais temas da série é sobre treinamento. Nascido em um planeta de guerreiros Goku era muito fraco. Por isso foi abandonado pelo pai e enviado à terra. Ao contrário de outros super-heróis que já nascem com poderes, ele teve de aprender e treinar um por um.

Treina para ser o seu melhor, não para ser o melhor.

Há personagens na série que mesmo sem genética que lhe possam assegurar poderes, o trabalho árduo os faz evoluir e conseguir feitos considerados como impossíveis.

Esteja preparado para trabalhar em equipe.

Na série é destacada a importância de se trabalhar em equipe. É mostrado como se deve deixar de lado orgulho ou arrogância e a eficácia de se pedir ajuda em um cenário de que trabalho em equipe pode levar a resultados maiores.

Continue humilde.

Nesta série a frase “o orgulho precede a queda” é demonstrada. Além disso, a série ensina a nunca subestimar ao que lhe rodeiam, principalmente os adversários.

Lute duro quando estiver defendendo outros.

Na série é enfatizada a diferença entre o herói (Goku) e o anti-herói (Vegeta) que só luta pelo seu orgulho. A luta pelo bem comum é bem mais dífícil de lutar e mais fácil de desistir. É por causa da responsabilidade que cai nos ombros quando outros dependem de nós. Por outro lado, uma força extra pode nos alcançar, isso explica como uma mãe é capaz de levantar um carro para salvar seu filho.

Não force seus sonhos para seus filhos.

Pais que pressionam os filhos para algo que eles não têm paixão é uma maneira de levá-los ao ressentimento. Você deve treinar seus filhos para as batalhas, mas não deve escolher suas guerras.

Conheça seus limites.

Para exceder seus limites, você deve entendê-los. Admita suas falhas. Está bem; ninguém é perfeito. Ao encontrar seus limites, você pode superá-los gradualmente. Goku sempre treinou para ser melhor que era no dia anterior.

Violência deve ser o último recurso.

Goku gostava de lutar pelo esporte. Ele nunca teve prazer em magoar os outros. Ele sempre dava a chance de pedido de desculpas e ir embora, antes e depois das lutas.

Aprenda a perdoar.

Goku sempre procurou o melhor em seus adversários. De fato, quase todos os seus amigos começaram como inimigos. Apesar de tudo isso, Goku os perdoou, e todos eles foram inestimáveis ​​para combater futuros inimigos. Você não tem nada a ganhar ao guardar rancor, mas potencialmente muito a ganhar ao abrir seu coração.

Nunca é tarde para fazer a coisa certa.

Uma coisa é perdoar os outros, mas outra é perdoar a si mesmo. É difícil ver a si mesmo como algo que não seja um monstro quando você fez coisa errada em sua vida. Mas você não é definido exclusivamente pelo seu passado. A série ensina que não existem pessoas boas ou más: há apenas pessoas que fazem escolhas boas ou ruins. O hoje é o dia perfeito para tentar viver um pouco melhor do que ontem.

De vez em quando dê uma pausa.

Assim como existem pessoas preguiçosas existem os viciados em trabalho, talvez você seja um. Dedique muita energia a algo sem descanso e você se esgotará rapidamente. Recarregar as baterias e volte ao trabalho com uma nova perspectiva.

Não se importe em ser diferente.

Não há problema em não encaixar no molde. Ser um pouco estranho é bom, e ter muitos amigos estranhos também. Dá a você uma perspectiva mais ampla do mundo ao seu redor.

Atos de heroísmo pode acontecer onde menos se espera.

Na vida, você não precisa ser o único a arrastar vinte pessoas para fora de um prédio em chamas. Doar sangue ou comida aos famintos são atos heroicos por si mesmos.

Narizes podem sangrar.

Um último ensinamento de Dragon Ball é que homens velhos que olham com indelicadeza para o corpo de uma mulher podem ter seus narizes quebrados.

Claro que inserir lições budistas a um desenho animado enriquece bastante o conteúdo. Por isso, a série foi tão amada e criou uma legião de fãs. Da próxima vez que um filho, ou um neto seu pedir para assistir TV lembre que ainda existem conteúdos que além de divertir a garotada trazem ensinamentos.

RG 15 / O Impacto

 

 

2 comentários em “Artigo – Dragon Ball: quando a união da filosofia budista com desenho animado gerou uma obra imortal para crianças

  • 23 de junho de 2020 em 10:18
    Permalink

    Até hoje levanto meus braços pra ajudar o Goku com a Genki Dama.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *