Governo Bolsonaro abandonou trecho urbano da BR-163 em Santarém

Quem utiliza a Rodovia Santarém/Cuiabá é apresentado constantemente por desafios. O matagal tomou conta do acostamento, cujo asfalto desapareceu. Em um dos trechos mais dramáticos, entre as avenidas Moaçara e Tancredo Neves, no bairro da Matinha, a pista encontra-se totalmente danificada.

Todos os dias, o pedreiro Adriano Silva, e seu ajudante, João Carlos, se arriscam em suas bicicletas ao trafegarem pelo trecho urbano BR-163 em Santarém.

O deslocamento dos trabalhadores da construção civil é cercado de perigo. Mesmo com cuidado redobrado, a dupla perdeu a conta das inúmeras situações que, em meio a enormes crateras, buracos, lama e mato, quase foram vítimas de acidente de trânsito.

“Infelizmente temos que utilizar a Santarém/Cuiabá para ir ao trabalho. Acontece que essa rodovia está cada dia pior. Não tem ninguém fazendo a manutenção há meses; está completamente abandonada. Muitas vezes somos obrigados a passar no meio da pista, arriscando ser atropelados, porque o acostamento não existe mais; em diversos locais o mato tomou conta”, diz o trabalhador.

Para o motorista de aplicativo Paulo Silva, a situação precária que se encontra o trecho urbano da rodovia é uma vergonha. Ele considera um descaso total das autoridades.

“A rodovia é federal, e cadê o governo federal? Semanalmente são centenas de carretas que trafegam por aqui. Essa questão tem que ser prioridade, em nome do desenvolvimento e da segurança da população e condutores de veículos”.

Segundo apurou O Impacto, a falta de manutenção da rodovia resultou de uma decisão do governo federal. O 8º BEC não é mais responsável pelo serviço de manutenção do trecho urbano da BR-163. O DNIT teria contratado uma empresa terceirizada.

Contudo, até o presente momento, não se viu qualquer serviço prestado por essa empresa.

PERIGO CONSTANTE

Acidentes com vítimas fatais no trecho urbano da BR-163 representam o quanto é perigoso trafegar pela via. A falta de prudência dos condutores de veículos, bem como a precária situação da rodovia, resulta em uma triste estatística. O retorno no cruzamento com a Avenida Moaçara, no bairro da Floresta, pode ser o apontado como o palco principal da tragédia. Várias vidas foram ceifadas, sem que o governo federal efetive qualquer alteração ou adequação para garantir maior segurança aos usuários da via.

Conforme mencionado, outro trecho que está deixando as lideranças políticas e comunitárias bastante preocupadas é do bairro da Matinha.

A vítima mais recente dos acidentes no referido perímetro, foi o jovem Antonio Lucas Moreira Silva, de 24 anos. Ele estava em uma motocicleta, que acabou colidindo com um carro, o dia 2 de maio. O acidente pode ter sido ocasionado pela imprudência dos condutores, porém, a necessidade de desviar dos buracos e a imensa escuridão do local, não ajudam em nada os motoristas.

No dia 30 de novembro de 2019, outro motociclista morreu após colidir com um táxi, no referido trecho da BR-163. O acidente aconteceu por volta de 7h30. O Samu 192 foi acionado, mas chegando ao local constatou que a vítima, identificada como José Ribamar da Conceição Chagas, de 25 anos, havia evoluído a óbito.

RG 15 / O Impacto

7 comentários em “Governo Bolsonaro abandonou trecho urbano da BR-163 em Santarém

  • 29 de junho de 2020 em 10:53
    Permalink

    O miliciano presidente em um de seus muitos devaneios disse que: ” as obras de infra_estrutura do Brasil seriam feitas usando a mão_de_obra do exército, assim, não seriam mais contratadas empresas corruptas, e o Brasil iria economizar muito dinheiro”. A reportagem diz que o 8º BEC não está mais responsável pela manutenção da BR 163, e que o DNIT já teria terceirizado o serviço para uma empresa. E agora José, nem Governo federal, 8º BEC, DNIT ou empresa terceirizada, e vai acabar sobrando para o Município de Santarém, visto que está na área urbana.

    Resposta
  • 26 de junho de 2020 em 20:14
    Permalink

    Faz pouco tempo, vários órgãos de imprensa fizeram um verdadeira festa com reportagens relacionadas ao asfaltamento da BR163 tocada pelo governo pipoqueiro, que gosta de fazer “inaugurações” de obras que tiveram seus projetos e alocações de verbas em governos anteriores. É super bom pregar placa de bronze, ou de latão mesmo, se declarar o paizão da obra, desde sua concepção, aprovação de verbas, licitações e, simplesmente, fazer a festa para enganar ou achar que todos são ingênuos e desinformados. Muitos acreditaram que a rodovia foi asfaltada na sua totalidade, pelo menos nos trechos que ainda dependiam desse serviço, até a área urbana de Santarém. Muita gente comemorou e enalteceu tal governo pela ‘magnífica’ decisão, pois outros não fizeram e embromaram – o que é verdade. E agora? Será que a população da querida Pérola do Tapajós se desiludiu, ainda sonha, ou já acordou e caiu na real?

    Resposta
  • 21 de junho de 2020 em 12:39
    Permalink

    Há um, dois anos atrás no máximo, não foi anunciado uma reforma completa do perímetro urbano da Br 163, em torno de 20 kms? Inclusive falaram em alargamento da pista, em razão do aumento do tráfego de carretas em direção ao porto. Quede esse projeto? A reportagem não teria que ter recuperado essa informação?

    Resposta
  • 21 de junho de 2020 em 03:56
    Permalink

    Deixa que a Prefeitura vai cooperar e consertar o trecho…afinal todos nós utilizamos !

    Resposta
  • 19 de junho de 2020 em 16:47
    Permalink

    Matéria mal intencionada.

    Resposta
  • 19 de junho de 2020 em 12:16
    Permalink

    Segundo apurou O Impacto, a falta de manutenção da rodovia resultou de uma decisão do governo federal. O 8º BEC não é mais responsável pelo serviço de manutenção do trecho urbano da BR-163.

    >>O DNIT teria contratado uma empresa terceirizada<<

    Então…

    Resposta
  • 19 de junho de 2020 em 12:14
    Permalink

    Pra rir, com a manchete dessa matéria

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *