Artigo – Como o RAP se consolida o movimento cultural que mais combate a ignorância no Brasil

Por Oswaldo Bezerra

RAP é uma sigla que significa “Ritmo e Poesia”. É conhecido por ter uma letra discursiva oferecendo mais informação que a melodia propriamente. É impulsionado nos bairros mais pobres, suas letras são o discurso narrando as dificuldades destes povo. Como o país mais desigual do mundo, o Brasil acolheu e desenvolveu o RAP nacional.

O movimento é diferente de movimentos culturais musicais anteriores, como samba, bossa e MPB por exemplo, que promoviam a integração e a conciliação, ou que celebravam a harmonia racial e social, que nunca de fato existiu no Brasil. O RAP não media nada e nem propõe conciliação entre os bairros pobres e os que querem promover seu genocídio. Isso foi bem colocado pelo RAP “Sobrevivendo no Inferno”.

Sobrevivendo no Inferno

Um inferno hoje que se traduz no crescimento do neonazismo no Brasil. Só neste ano 204 páginas de internet de apoio ao nazismo surgiram em nosso país em maio deste ano, segundo levantamento da organização SaferNet. O número de criação destas páginas é 7 vezes maior que maio de 2018. Segundo a SaferNet o crescimento é ligado ao discurso racista, anticomunista e armamentista de Jair Bolsonaro.

Em 2018, quando Bolsonaro não conseguiu vencer a eleição no primeiro turno despertou a ira do seu eleitorado. O discurso de ódio explodiram nas redes. Neste período as mensagens de xenofobia cresceram mais de 2369%, a apologia a assassinatos cresceram 630%, apologia ao neonazismo 548%, de homofobia 350% e de racismo 208%.

Diferente do nazismo alemão, cujos principais inimigos eram os judeus e comunistas, o neonazismo brasileiro elegeu como inimigos nortistas e nordestinos. O RAP dá sua resposta a este preconceito com rapentista cearense Rapadura, com sua obra “Norte Nordeste Me Veste”.

Norte nordeste me veste

Toda a situação que chegamos hoje de intolerância e crescimento do neonazismo teve início em 2013. E olha que naquele momento vivíamos o chamado pleno emprego e nossa economia estava no melhor momento da história. Precismos saber o que aconteceu para que tudo desse errado.

Os últimos 5 anos do Brasil mostrada de forma inteligente você pode encontrar no vídeo do clipe do Boca de Lobo, no Rap Criolo. O poder de síntese do vídeo é impressionante. Ele mostra o ano de 2013 e a loucura que aconteceu. Desde Janaína girando a bandeira e falando da República da Cobra sendo ela mesma a cobra, os urubus gerindo serviços públicos, os ratos do congresso saindo dos buracos das obras mal acabadas, o mosquito do capital internacional sugando nosso petróleo e outros escândalos como o suco de laranja, por exemplo.

Criolo – Boca de Lobo

Os três Rap´s acima são não só um marco do gênero musical mas também um marco histórico do país. Essas obras além de novas histórias deixarão frutos. Infelizmente, tudo o que foi cantado ali ainda se aplica ao Brasil de hoje. É triste saber disso, mas nos contenta saber que estas obras foram tão avassaladoras que se tornaram visíveis, mesmo vindo de comunidades invisíveis ao poder público. Quando estas comunidade são deixadas de serem ignoradas nós deixamos de ser ignorantes.

RG 15 / O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *