Artigo – Cinismo imperialista contra países latino americanos: “Vamos dar golpes de estado em quem quisermos”

Por Oswaldo Bezerra

Elon Musk é muitas vezes referido como um testa de ferro do chamado “deep state” norte-americano. Atua como bilionário de uma empresa privada, mas que dispõe de bilhões de dólares de origem estatal, para aprimorar tecnologias para o futuro. Dentre elas os foguetes da Space X e carros que utilizam energia elétrica da Tesla.

Talvez a necessidade de baterias de lítio, para seus carros elétricos, pode dar uma dica sobre o golpe de estado ocorrido na Bolívia. A Bolívia era o país que mais crescia na América Latina numa proporção de 5% ao ano. Seu presidente contava com aprovação absoluta que lhe garantiria a re-eleição. Então veio um golpe de estado liderado por evangélicos, milícia e militares.

O CEO da Tesla e da SpaceX, Elon Musk, provocou hoje um tumulto no Twitter depois de afirmar que ele não tem objeções em realizar operações de mudança de regime em benefício de sua empresa. Os comentários provocativos foram feitos depois que o empresário bilionário sugeriu outro projeto de Lei do governo para ajudar a impulsionar a economia vacilante dos EUA “não seria do melhor interesse do povo”.

Um comentarista não convencido reagiu: “Você sabe o que não interessa às pessoas? O governo dos EUA organizou um golpe contra Evo Morales na Bolívia para que você possa obter o lítio de lá”.

Musk, indiferente à acusação, respondeu: “Vamos golpear quem quisermos! Lide com isso!”. Em um tweet de acompanhamento, afirmou que a Tesla recebe seu lítio da Austrália.

A postagem provocou um pandemônio no Twitter. O jornalista Max Blumenthal afirmou que o tweet sem desculpas de Musk “praticamente leva crédito pelo golpe boliviano pelo lítio”. Outros descreveram as reflexões de Musk como “irreverentes e cruéis”, mesmo quando reconheceram sua sinceridade.

Porém, nem todos aceitaram o pronunciamento do CEO da Tesla. Alguns observadores argumentaram que Musk estava claramente brincando, mesmo que seu gracejo fosse de mau gosto. Mesmo entendendo isso como uma piada é algo terrível. Muitas pessoas inocentes sofreram quando golpes militares liderados pelos EUA acontecem.

O ex-presidente da Bolívia, Evo Morales, renunciou e fugiu do país em novembro passado, após acusações de fraude eleitoral, ameaças de morte, violência e incêndios de casas de seus parentes.

Ao estilo Venezuela uma política de direita, sem expressão no país, se autoproclamou presidenta do país e reprimiu a população com violência. O objetivo do golpe foi abrir, para empresas do mercado financeiro, a maior reserva de lítio do planeta situado na Bolívia

RG15/O Impacto

3 comentários em “Artigo – Cinismo imperialista contra países latino americanos: “Vamos dar golpes de estado em quem quisermos”

  • 18 de agosto de 2020 em 19:40
    Permalink

    Cara, como você é burro.

    Resposta
  • 27 de julho de 2020 em 00:00
    Permalink

    Que cara de pau tem esse articulista !!! Então o que derrubou o cocaleiro Evo Morales foi um “golpe americano” ? O povo boliviano não estava insatisfeito com o governicho corrupto , ladrão e incompetente do chefão do tráfico ? Que maravilha existir o americano, hein ! A culpa da incompetência e o fracasso marxista jogam sempre nas costas dos USA. Quem quer transformar a América Latina num quintal da China é o Foro de São Paulo, hein FHC, Lula, etc. Prova disso é que apoiaram o golpe do H.Chaves contra o povo venezuelano, eleito falando em democracia e depois implantou o comunismo. Se os gringos tivessem interesse, já teriam invadido a Venezuela e colocado os comunistas para correr. Isso prova que quem realmente tenta golpes em países com alguma instabilidade, são os comunistas !

    Resposta
    • 18 de agosto de 2020 em 19:41
      Permalink

      Cara, como você é burro!

      Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *