Artigo – A elite global nunca teve tanto controle sobre nós quanto agora

Por Oswaldo Bezerra

Não importa se você se rotule de esquerda, ou de direita, ou de centro. Todos concordam que a elite global tem muito poder e influência. Dinheiro é poder, dito que nunca foi mais verdadeiro do que hoje. Quem está no topo da pirâmide dita a regra do jogo, e não adianta o resto de nós espernearmos pois, não podemos fazer nada contra isso.

A dominação da elite global em nossas vidas se faz pela sua influenciam nos governos? Também mas, na verdade essa é uma das áreas onde a elite global tem menos controle. Pode parecer estranha esta afirmação. Contudo, as corporações são o principal veículo usado para controlar nossas vidas.

As corporações globais são agora maiores e mais poderosas do que a maioria dos governos nacionais e, coletivamente, a rede de corporações globais que domina o planeta é muito maior e muito mais poderosa do que qualquer governo nacional.

Foi realizado um estudo que examinou de perto as relações de interconexão das principais corporações em todo o mundo. Esse estudo descobriu que uma rede de 1.318 empresas gigantes dominava a economia global e também descobriu que 147 corporações colossais, no centro dessa rede, formavam uma “super entidade” que controlava a metade desta rede.

Cada uma das 1318 tinha laços com duas ou mais empresas e, em média, estavam conectadas a 20. Além do mais, embora representassem 20 por cento das receitas operacionais globais, a 1.318 parecia possuir coletivamente, por meio de suas ações, a maioria das ações do mundo grandes empresas blue chip, e de manufatura representando mais de 60 por cento das receitas globais.

Um estudo mais profundo descobriu que a”super entidade”, menos de 1 por cento das empresas eram capazes de controlar 40 por cento de toda a rede. A maioria era instituições financeiras. As 20 maiores incluíam Barclays Bank, JPMorgan Chase & Co e The Goldman Sachs Group.

É claro que no topo delas estão os indivíduos ultra-ricos que possuem e controlam as gigantescas corporações que compõem a “super entidade”. É por isso que todas as nossas principais empresas parecem ter os mesmos valores.

No topo, suas propriedades estão todas interligadas, portanto, tentar mudar fundamentalmente a cultura dessas instituições enormes é impossível. Todos temem enfrentar esse grande monstro econômico.

Ao longo dos anos, vimos tantas empresas promissoras serem engolidas por essa “super entidade” e, em muitos casos, os clientes dessas empresas não perceberam que agora pertence à outra pessoa. Por ter uma fatia tão grande do mercado, a elite global essencialmente dita o que é produzido, o que é vendido e o que é comprado.

E se você precisar de um empréstimo para comprar uma casa ou fizer alguma outra compra importante, normalmente terá que passar por uma de suas instituições financeiras.

Os políticos adoram falar sobre “criação de empregos”, mas a verdade é que são as grandes corporações que realmente detêm o poder sobre quem trabalha e onde. O currículo não define uma pessoa. A elite contratará uma pessoa se ela compartilha os valores da empresa e se ela será uma boa engrenagem na máquina.

E a elite quer garantir o suprimento infinito de “engrenagens boas”. Assim a elite também domina o sistema de ensino superior. Faculdades e universidades, colégios particulares que fizeram o que a elite deseja, ideologicamente, serão inundadas de dinheiro, enquanto outras serão deixadas de lado.

Assim que deixamos a escola, a elite continua a controlar o que pensamos por meio de sua propriedade de quase todas as principais empresas de mídia e entretenimento. Hoje, mais de 90% das “notícias” e “entretenimento” que recebemos por meio de nossas televisões são produzidos por seus colossais impérios de mídia, e o brasileiro médio passa, aproximadamente, seis horas por dia na frente de uma televisão.

Se você permitir que alguém alimente propaganda em sua mente durante seis horas por dia, isso terá um enorme impacto em como você vislumbra o mundo. Você pode até tentar mudar para um canal diferente do que normalmente assiste, mas isso não mudará quase nada.

Você já se perguntou porque as notícias sempre soam iguais, independentemente do canal que você está assistindo? Que o adjetivo ditador vem sempre contra governantes que não se dobram aos impérios corporativos? Não acontece por acaso.

Nos primeiros anos, a Internet permitiu que vozes alternativas competissem com os gigantescos impérios da mídia, mas agora isso mudou rapidamente.

As corporações gigantescas agora controlam a Internet, essas corporações podem silenciar vozes dissidentes. Chuva de notícias falsas faz lavagem cerebral. Faz uma nação ávida pelo fim da corrupção eleger para presidente uma pessoa, que quando deputado abasteceu, em um só dia, mais de mil litros de gasolina em seu carro, um típico caso de super faturamento.

A Constituição que governa nossa terra deve garantir a liberdade de expressão. As corporações que dominam completamente nossas vidas agora controlam a maioria das “praças públicas” online, e eles deixaram bem claro que eles vão ditar o que pode e o que não pode ser dito.

Você está começando a entender o poder que eles têm? O presidente Bolsonaro não pode controlar o que você diz, mas as grandes corporações fazem isso todos os dias. Ao contrário de nossos políticos, não podemos nos livrar das corporações na cabine de votação.

Não importa o que aconteça nas eleições de novembro, a elite global continuará a dominar nossa sociedade, mas se continuarmos no caminho que eles estão nos conduzindo, nosso futuro será muito sombrio e nunca seremos realmente livres.

 

RG 15 / O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *