Artigo – Os Millennials russos que enfrentaram Putin

Por Oswaldo Bezerra

Sejamos Jovens ou adultos, vivemos hoje em estado de ansiedade permanente em busca de informações novas na internet. Informamo-nos sobre tudo, receitas, vídeos sobre gatos, músicas, debate político, cinema e até educativos como o Jornal O Impacto. Na internet temos tudo o que procuramos ou não.

Agora imagine nos dias atuais ficarmos um dia sem internet. Algo como isso aconteceu em março de 2019. Foi uma das piores falhas de serviço da história da internet. As plataformas de Mark Zuckerberg (Facebook, Whatsap e Instagram) apresentaram problemas em todo o mundo. Das três plataformas, o Whatsapp foi o caso mais crítico, pois milhões de usuários a utilizam para sua comunicação.

Esta paralisação deu evidência ao aplicativo de comunicação Telegram. Só nas 24 horas de falha do Whatsapp, o Telegram ganhou mais de 3 milhões de usuários. Usuários estes que já não confiavam na privacidade do aplicativo de Mark Zuckerberg.

O Telegram é a plataforma de comunicação mais criticada por governos. No entanto, em todo o mundo é a mais utilizada por funcionários estatais. Tudo isso por causa da confiança que gera.

Apesar de ser semelhante ao serviço de mensagem do Whatsapp, no Telegram você pode ter chats secretos. Além disso, as mensagens são armazenadas no próprio aparelho e não na nuvem. As mensagens também podem ser programadas para autodestruir-se.

Os criadores do aplicativo foram os russos Nikolai e Pavel Durov. Criaram na cidade russa de São Petersburgo, mas ao longo do tempo mudaram sua jurisdição de país em país para evadir regulamentações problemáticas. Hoje sua sede está em Dubai. Foi criada para concorrer com o Whatsapp. Seus criadores garantem que seus dados cifrados tornam o aplicativo muito mais seguro em termos de privacidade. É sabido que o Whatsapp permite a espionagem por serviços secretos do ocidente. Por isso, o Telegram é bem-conceituado para confidencialidade de conversas comerciais ou pessoais.

Escândalos de espionagem de conversas começaram a surgir em 2003, o primeiro foi o da sul-coreana Kakao Talk. Em 2019, a bola da vez foi o serviço de comunicação da China. A bandeira de liberdade, democracia e privacidade foi reeditada pelo Telegram.

Desgraçadamente, o aplicativo passou a ser usado também por radicais para atentados e propaganda. O famoso antivírus russo, a Kaperskay, informou que o grupo de hackers “Lázaros”, que tem sede na Coreia do Norte, utiliza o Telegram para roubar Biticoins.

Os irmãos russos já haviam fundado um facebook russo, chamado Vkontakte, carimbam o fato do Telegram não ter nenhuma ligação com o governo russo. Os irmãos Pavel diziam que, na época da criação de seus aplicativos, a Rússia era mias liberal até que os EUA.

Anos depois tiveram de sair de seu país por causa de enfrentamento com o presidente Putin. Na época, por pressão, tiveram que ceder o Vkontakte ao governo. Ao contrário das plataformas de Mark Zuckerberg, não vende anúncio, pois os dados pessoais obtidos pelos anúncios vão de contra a ética. Além de funcionar livre de pressão governamental, o Telegram quer trabalhar livre da pressão dos mercados.

Os canais do Telegram podem levar mensagens a um número indefinido de pessoas. China, Iran e Rússia, entre outros, são os países que lideram esforços para bloquear o aplicativo com o pretexto de segurança nacional.

O governo russo acusa o Telegram de ter sido usado como ferramenta de comunicação pelos terroristas, que criaram o atentando no metrô de São Petersburgo, em 2017. Após o atentado, o Kremlin aprovou uma Lei que dava acesso ao serviço secreto russo as mensagens do aplicativo.

Pavel criticou esta Lei. Disse que a arquitetura do aplicativo não o permitiria fazer isso. O governo tentou em vão bloquear o acesso das pessoas ao aplicativo. A porta-voz da Rússia afirmou, no entanto, que o uso do Telegram não está criminalizado. Ainda assim, membros governo ainda continuam a usar o Telegram.

Ao ser perguntado se bloquearia redes sociais como Facebook ou Youtube, Vladimir Putin assim respondeu: “Não vamos bloquear estes aplicativos, mas gostaria de mandar um recado ao Telegram. Vocês me dizem que estão preocupados, mas eu em meu lugar também estou preocupado, pela segurança das pessoas, pois membros da segurança nacional me disseram que, depois do atentado de São Petersburgo, não puderam fazer o seguimento da comunicação dos terroristas, e tomar uma decisão a tempo, por que está cifrado e os vilões se aproveitam disso. Como devo me comportar? A segurança é o mais importante”.

Snowdem, que levou ao mundo a espionagem em massa dos EUA, vive atualmente na Rússia, sabe muito bem como funciona a espionagem em cima das pessoas comuns. Ele sabe, por exemplo, como a Microsoft entregou chats privados do skype para a NSA. Snowden faz duras críticas ao Whatsapp, mas, também afirma que o Telegram não é seguro. Ele indica o uso do Signal, apontado como o mais seguro.

Foi justamente em mensagens espionadas, pelo Telegram, que foram descobertos os quatro crimes do ex-juiz Sérgio Moro. Segundo uma representante da Associação Brasileira de Juristas pela Democracia, na condução e a interferência nas investigações da operação Lava Jato, o ex-juiz incorreu em abuso de autoridade, improbidade administrativa, prevaricação e formação de quadrilha.

Snowden também afirmou que “a negativa do Telegram, a demanda totalitária do governo russo ao acesso de mensagens privadas, é a única resposta moral e mostra liderança real”. Isso mostra que a liberdade de expressão existe na Rússia.

Pavel é uma das pessoas de maior QI no mundo, hoje com 35 anos, não tem intenção de se tornar mais rico, mesmo por que já possui 4 bilhões de dólares. Ele e seu irmão são os maiores doadores para projetos de internet livre de fronteiras e censuras.

RG 15 / O Impacto

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *