Artigo – De uma simples colônia portuguesa à cidade mais rica do mundo

Por Oswaldo Bezerra

Quando os portugueses chegaram à Ásia, no século XVI, determinaram o melhor local para servir de porta de acesso asiática para os europeus. Passou a ser o primeiro entreposto entre a China, a Europa e o Japão. A localidade foi batizada pelos portugueses de Macau.

A colonização portuguesa trouxe prosperidade à vila de pescadores. Devido a sua importância várias potências europeias tentaram tomar Macau de Portugal. Uma das guerras mais ferozes pelo domínio da cidade, Portugal travou contra a Holanda. Durante os 4 séculos de dominação portuguesa, Macau foi a cidade mais importante para o comércio entre Ásia e Europa.

Só no século XIX que o posto de comércio mais importante da Ásia foi perdido. Foi durante do estabelecimento de Hong Kong pelos ingleses. Porém, Macau continuou sendo o primeiro farol do Mar do Sul da China.

Foi no ano de 1887 que a China reconheceu oficialmente a soberania e a ocupação perpétua portuguesa da cidade de Macau. Foi através do Tratado de Amizade e Comércio sino-português. Em 1901 o governo de Macau passou a emitir moedas próprias.

Por ser colônia portuguesa, esta cidade não foi invadida pelos japoneses na Segunda Guerra Mundial. Por sorte, não sofreu os horrores daquela guerra.

Após o nascimento, em 1949, da República Popular da China, ocorreram alguns motins na cidade asiática de Portugal. Foram provocados por comunistas que queriam a unificação de Macau à China. A intensificação dos motins levou Portugal, em 1966, a renunciar a sua ocupação perpétua. Foi a última colônia européia na China a acabar.

Desde então, Macau se tornou a cidade dos grandes cassinos. Superou Las Vegas e hoje é a nova cidade mais rica do mundo, e ainda tem o português como língua oficial. Como 50% do faturamento de Macau vêm dos cassinos, o golpe sofrido com a pandemia foi enorme.

Cassino é proibido na China. Por ser um território autônomo, Macau tem o privilégio de ter cassinos. Por isso, em fins de semana milhões de turistas, principalmente chineses, invadem a cidade. Por falar nisso, brasileiros e portugueses não precisam de vistos para visitar o território autônomo de Macau.

RG 15 / O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *