Artigo – Divisão política nos EUA se acentua com marcha em favor de Trump

Por Oswaldo Bezerra

Hoje as ruas de Washington, estavam cheias de bandeiras dos EUA. Eram os dos apoiadores de Trump que marchavam para protestar contra a vitória declarada de Joe Biden. Eles a consideram uma vitória fraudulenta. Multidões cantaram e oraram, e vários confrontos tiveram início.

Anunciado por seus organizadores como “o maior comício Trump da história”, o #MillionMAGAMarch deste sábado atraiu enormes multidões de apoiadores do presidente Trump à capital do país, onde se reuniram na Freedom Plaza para protestar contra o que consideram uma eleição fraudulenta.

O secretário de imprensa da Casa Branca, Kayleigh McEnany, afirmou que “mais de um milhão” de manifestantes apareceram. Estimativas mais conservadoras colocam o público na casa dos milhares.

Como no mundo será possível para a América ter um futuro, quando cerca de metade do país vai sentir que a eleição foi roubada deles, não importa qual seja o resultado final? Simplesmente não haverá como voltar a ser como as coisas eram antes.

Neste momento, dezenas de milhões de partidários de Trump acreditam que os democratas roubaram a eleição. Caso se confirme nos tribunais um segundo mandato para Trump, dezenas de milhões de apoiadores de Biden ficarão convencidos de que os republicanos roubaram a eleição. De qualquer forma, a nação ficará cheia de pessoas profundamente iradas.

No momento, a grande mídia está presumindo que Biden será o presidente. A realidade da questão é que no fim, Donald Trump ou Kamala Harris estará na Casa Branca. Mesmo que Biden seja empossado, sua condição física em rápida deterioração não o permitirá servir por muito tempo. Quer seja uma questão de anos, meses ou dias, a administração Biden será simplesmente uma ponte para uma administração Harris.

Uma vez que os desafios jurídicos de Trump não sejam bem-sucedidos e Biden finalmente saia vitorioso, os apoiadores de Trump deveriam estar orando muito pela saúde de Biden, porque as coisas vão realmente piorar para eles sob o governo Harris. Acredito que Biden vai pelo menos tentar manter a fachada de que está tentando “unificar” a nação, mas uma vez que ele esteja fora de cena, Harris não hesitará em governar com mãos de ferro.

Harris foi classificada como o membro mais liberal do Senado dos EUA durante seu tempo lá. Quando ela era a procuradora-geral da Califórnia, ela mostrou como pode ser totalmente implacável.

Durante a eleição geral, ela tentou mostrar um lado mais suave, mas não enganou ninguém. Todos lembram das políticas de extrema-direita que ela adotou durante sua candidatura malfadada à presidência, e seu histórico como procuradora-geral da Califórnia demonstra claramente suas tendências autoritárias.

É claro que muitos apoiadores de Trump estão esperando que um governo Harris nunca se materialize, e sim Trump ganhe um segundo mandato. Sem dúvida é definitivamente possível. Na noite de terça-feira, o secretário de imprensa da Casa Branca, Kayleigh McEnany, mostrou a Sean Hannity uma pilha de páginas de depoimentos de pessoas que testemunharam fraude eleitoral em seus estados.

O tempo está passando. O Colégio Eleitoral lançará seus votos em 14 de dezembro e quaisquer disputas relacionadas à seleção de eleitores deverão ser resolvidas até 8 de dezembro. Isso significa que a equipe jurídica de Trump tem menos de um mês para inverter os resultados em estados suficientes para dar a Trump a vitória, e isso vai ser uma tarefa difícil.

Por um momento, vamos supor que a equipe jurídica de Trump seja bem-sucedida. Você acha que os democratas irão recuar e aceitar mais quatro anos de Trump pacificamente?

A grande mídia nortr-americana tem dito repetidamente que eles venceram as eleições legitimamente e que “não há absolutamente nenhuma evidência” de fraude eleitoral. Quando as grandes redes de notícias deram a vitória de Biden, houve enorme comemoração nas ruas. Para muitos democratas, foi como se o Natal, seus aniversários e o dia da independência tivessem chegado de uma só vez. Imagine a fúria que eles sentirão se a equipe jurídica de Trump for capaz de reverter o resultado?

Solução pacífica não é mais possível. Muita violência ocorrerá nas ruas de forma permanente a partir de agora, e será muito pior do que qualquer agitação civil já testemunhada. Não há como voltar a ser como as coisas eram antes.

Da forma como está, ainda não sabemos quem vai ganhar. De acordo com a Constituição dos Estados Unidos, é o Colégio Eleitoral que elege o presidente, e essa eleição não será realizada até o dia 14 de dezembro. Portanto, ninguém deveria reivindicar o título de “presidente eleito” ainda. Você não pode ser um “presidente eleito” quando a eleição ainda nem aconteceu.

Sim, mas se chegarmos a 8 de dezembro e Joe Biden ainda estiver liderando na contagem de votos nos estados que lidera atualmente, parecerá que o tempo para a campanha de Trump terá se esgotado.

No momento, os dados ainda estão rolando. A maioria dos apoiadores de Trump ainda pensa que Trump vencerá, e a maioria dos apoiadores de Biden está absolutamente convencida já ganha.

Não importa qual seja o resultado, nos próximos anos serão dolorosos para a sociedade norte-americana. Depois de tudo o que já aconteceu nesta política radical de ódio e separação, ninguém vai poder “unir” o país, e a vida na América não será mais a mesma.

RG 15 / O Impacto

2 comentários em “Artigo – Divisão política nos EUA se acentua com marcha em favor de Trump

  • 15 de novembro de 2020 em 19:17
    Permalink

    “Política radical e de ódio” quem pratica são os comunistas, contra o próprio povo que fica sob seu domínio ditatorial, que o diga os venezuelanos, os cubanos, os norte coreanos, etc, etc, etc…

    Resposta
  • 15 de novembro de 2020 em 19:13
    Permalink

    “”Vitória declarada”” pela parcela vendida e corrupta da imprensa ? As vergonhosas fraudes eleitorais perpetradas pela esquerdalha americana não serão engolidas tão facilmente, como imagina o articulista. Lá existe uma Suprema Corte, não um STF aparelhado e, também, um povo armado, cioso de seus direitos de liberdade e de cidadão. Portanto, essa onda comunista internacional de querer jogar concreto fresco sobre o mar de lamas, não ocorrerá. Primeiro apurar as fraudes, punir e depois o resultado final !

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *