Alcoa apoia o diagnóstico da Covid-19 no Oeste do Pará 

Em Santarém, o Laboratório de Biologia Molecular (Labimol), iniciativa pioneira na região Norte, desenvolvida pela Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), em parceria com a Secretaria de Estado de Saúde Pública (Sespa), Centro de Governo do Oeste do Pará e Hospital Regional do Baixo Amazonas , garante celeridade no diagnóstico da Covid-19. A unidade foi inaugurada no primeiro semestre deste ano e recebeu apoio da Alcoa, por meio da Alcoa Foundation e Instituto Alcoa, para continuar realizando o diagnóstico molecular da Covid-19 em mais de 1 milhão de habitantes do Oeste do Pará.
 
De acordo com a Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa), em razão da grande dimensão territorial do estado, existem dificuldades logísticas em enviar ao Laboratório Central, localizado em Belém, as amostras que precisam ser testadas na região, incluindo amostras de comunidades indígenas, quilombolas e ribeirinhas, o que resultava em atraso na confirmação laboratorial dos casos suspeitos.
 
Diante da urgência desses resultados, a Ufopa, em colaboração com a Sespa, Centro Regional de Governo e HRBA, coordena uma iniciativa histórica que proporcionou a instalação emergencial de um Laboratório de Biologia Molecular para testagem da Covid-19 (Labimol), que hoje se encontra nas dependências do Hospital Regional do Baixo Amazonas. O laboratório já realizou a testagem de sete mil pessoas e estava com suas atividades ameaçadas devido a escassez de recursos para a aquisição dos insumos necessários para a realização dos testes.
 
Para alcançar os objetivos, a Ufopa também, conta, com o apoio da iniciativa privada. A Alcoa, por meio da Alcoa Foundation e o Instituto Alcoa, realizou aporte financeiro de R$ 352 mil para a compra de insumos para o diagnóstico molecular da Covid-19, realizado no Labimol. 
 
Testagem – O pró-reitor de Cultura, Comunidade e Extensão da Ufopa, Professor Doutor Marcos Prado, coordenador do Labimol, explica que na região Norte, o diagnóstico molecular da Covid-19 existe apenas nos laboratórios centrais de cada estado, exclusivamente nas capitais. Segundo ele, Santarém é a única cidade do interior da região que possui um laboratório com capacidade técnica de realizar a testagem molecular da Covid-19, metodologia de diagnóstico considerada padrão pela Organização Mundial de Saúde (OMS).
 
“Isso mostra a importância de parcerias entre instituições públicas e privadas para beneficiar diretamente milhares de pessoas por meio do diagnóstico rápido e preciso da Covid-19. O recurso da Alcoa chega em um momento muito delicado, pois os materiais adquiridos pela Ufopa e pela Sespa estão próximos do fim e a continuidade da testagem estava ameaçada”, argumenta Marcos Prado.
 
De acordo com a superintendente de Relações Comunitárias da Alcoa Juruti, Thalita Lucena, desde que foi confirmada a pandemia do novo Coronavírus, a empresa vem mobilizando todos os esforços para fortalecer a estrutura de saúde no município e no estado do Pará.
 
“Muito antes da pandemia global, a Alcoa já vinha dedicando atenção especial para a saúde no município de Juruti. Nos últimos 11 anos, desde a chegada da empresa a Juruti, foram alocados pela empresa R$ 77 milhões para a saúde na região. Neste momento de pandemia da COVID-19, a empresa, em um esforço conjunto com o Instituto Alcoa e Alcoa Foundation, investiu mais de R$ 1,8 milhão para o suporte nas ações de combate à Covid-19”, destaca Thalita Lucena.
 
Três professores da Ufopa, dois analistas e cinco técnicos de laboratório atuam na realização dos testes sete dias por semana. Os exames são realizados conforme demandas encaminhadas pelos municípios da região à Sespa, que por sua vez envia as amostras ao Hospital Regional do Baixo Amazonas. Após chegarem ao Labimol os resultados são gerados em até 48 horas.

RG 15 / O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *