Governo do estado do Pará pode estar devendo R$ 57 milhões a OS que administrou hospitais de campanha

O Instituto Panamericano de Gestão (IPG), Organização Social que ficou responsável pela administração dos Hospitais de Campanha de Breves e de Santarém, além do Hospital Regional do Tapajós (HRT), em Itaituba, ingressou com ação na Justiça para reivindicar o pagamento de R$ 57 milhões, referentes aos serviços prestados nas três unidades.

O IPG alega que o contrato junto a Secretaria de Estado de Saúde (Sespa) foi cumprido, gerando uma dívida milionária junto aos colaboradores da OS. De acordo com a legislação que rege as Organizações Sociais, o IPG não pode e não possui fluxo de caixa estando impedido de, por si próprio, arcar com as dívidas das Unidades junto aos funcionários e fornecedores.

Na ação, o IPG ressalta que não recebeu qualquer quantia por parte da Sespa, desde a finalização dos contratos. Em Breves as atividades do Hospital de Campanha encerraram no mês de julho e em Santarém no dia 27 de setembro.

Esclarecimento da Sespa

A Sespa informou por meio de nota que efetuou o pagamento dos Hospitais de Campanha de Breves e Itaituba em sua totalidade a partir do seu funcionamento. “Quanto ao hospital de campanha de Santarém, informamos que todos os valores foram depositados em juízo, conforme determinação judicial, devido à falta de pagamento por parte da Organização Social a seus fornecedores, funcionários e credores”, explicou.

Fonte: Portal Roma News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *