Nélio Aguiar solicita ao Governo do Estado reabertura do Hospital de Campanha

Na última terça-feira, 19, o prefeito Nélio Aguiar enviou ao governador do Pará Helder Barbalho um ofício em que solicita novos leitos clínicos e intensivos nas unidades hospitalares do município e a reinstalação do Hospital de Campanha em Santarém.

A solicitação foi feita pelo gestor municipal tendo em vista o aumento dos casos de covid-19 que voltaram a crescer no estado e que se desenham por todo o país, fazendo referência ainda ao agravamento da situação no estado vizinho Amazonas, sendo portanto, o Hospital de Campanha um valioso apoio para tentar frear e combater o avanço do novo coronavírus.

O Hospital de Campanha esteve em atividade em Santarém durante a primeira onda da covid-19. Realizou mais de 800 atendimentos, contava com 120 vagas, sendo: 36 leitos de unidade de tratamento intensivo, 84 leitos clínicos e 10 leitos clínicos para indígenas. Encerrou as atividades em setembro de 2020.

O prefeito Nélio Aguiar reitera a segurança e a retaguarda necessária que o equipamento proporcionava à população diante do quadro mundial. “Traçamos estratégias diuturnamente para dar atendimento necessário ao nosso povo, implantamos a Unidade de Saúde Descentralizada que distribuiu mais de 1 milhão de medicamentos, instituímos o Ambulatório Itinerante, avançamos com a fiscalização e ações da Vigilância Sanitária. No entanto, ainda que as ações para diagnóstico e tratamento preventivo estejam sendo realizadas estamos vivenciando novamente uma situação preocupante com a covid-19, sendo o Hospital de Campanha um grande aliado nesse combate.”

No momento a cidade está sob bandeira vermelha por conta do aumento de casos da infecção. Assim, Santarém volta a seguir algumas regras que já tinham sido impostas no início da pandemia, agora renovadas através de decreto municipal: comércio considerado não essencial funcionando com redução de horário (09h às 15h), proibição  da circulação de pessoas em praias, atividades esportivas e festas, e fechamento de bares, casas de shows, eventos e academias.

 “ Há a necessidade de reduzir a circulação de pessoas nas ruas. Quem puder ficar em casa, que fique em casa Esse é um momento que exige sacrifício da gente, não tem jeito, pois não há como enfrentarmos a pandemia sem fazer sacrifícios. E o comitê de crise decidiu fazer essas suspensões até o município sair da bandeira vermelha”, explicou o prefeito.

RG 15 / O Impacto com informações da PMS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *