Profissionais de saúde de Belém e Ananindeua são os primeiros vacinados no Pará

As técnicas de enfermagem do Hospital de Campanha de Belém, instalado no Hangar Centro de Convenções, Shirley Cruz Maia, de 39 anos, e Marielza da Silva Monteiro, de 57, são as duas primeiras profissionais de saúde da capital a receberem a primeira dose da Coronavac, vacina contra a covid-19 do Instituto Butantan (SP) e do laboratório chinês Sinovac.

O primeiro profissional de saúde de Ananindeua, na Grande Belém, também foi vacinado. Trata-se de João Bernardo, enfermeiro de 37 anos.

“Neste momento, nós iniciamos essa vacinação, escolhendo duas profissionais que estiveram diretamente trabalhando no Hospital de Campanha do Hangar, este que ficará na memória de todos nós, paraenses, como uma grande referência, junto com outros equipamentos públicos, para o atendimento aos pacientes com covid-19. Mulheres, negras, trabalhadoras, que possuem na sua história o retrato de tantas mulheres desse querido Pará. Mãe solteira, de quatro filhos, uma de nossas colaboradoras. A outra, iniciou nos serviços gerais do nosso hospital com formação em técnica de enfermagem; no decorrer de sua trajetória, foi reconhecida para servir com sua atividade e conhecimento e, hoje, coopera nesta condição. Da mesma forma, também, o colaborador do município de Ananindeua, que atua em unidades de saúde”, destacou o governador do Pará, Helder Barbalho (MDB).

A imunização está ocorrendo na manhã desta terça-feira (19), também no Hangar. Participam da solenidade, além do governador, os prefeitos de Belém e Ananindeua, Edmilson Rodrigues (Psol) e Daniel Santos (MDB), respectivamente, e o vice-governador Lúcio Vale (PL).

Após mais de 12 horas de espera, o avião que transportou ao Pará as primeiras doses da Coronavac, que partiu às 11h dessa segunda (18) do Centro de Distribuição Logística do Ministério da Saúde, em Guarulhos (SP), pousou exatamente às 23h de ontem no aeroporto de Belém. A carga foi trazida em uma aeronave comercial, após desembarque feito em Manaus. Ela era esperada desde as 15h30 em Val-de-Cães. Uma mudança na estratégia logística de distribuição do MS motivou o atraso da chegada à capital.

Além das 24.560 doses da Coronavac, disponibilizadas inicialmente ao Pará, a Saúde estadual ainda contará com mais mais 48.680 doses destinadas exclusivamente a populações indígenas. O primeiro grupo a ser imunizado serão os profissionais de saúde e indígenas. Nas remessas seguintes, pessoas que estão em asilos e casas de cuidados também serão incluídos.

Fonte: O Liberal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *