Santarém registra 20 mortes da covid-19 nos últimos sete dias; cinco ocorreram em 24horas

A Unidade de Pronto Atendimento (UPA 24h) de Santarém, oeste do Pará registrou cinco mortes nos últimos dois dias. Três desses pacientes testaram positivo para covid-19, estavam intubados e aguardavam transferência para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Três mortes ocorreram na segunda, 1º e outras duas, na madrugada de ontem, 2. Somando com os 15 óbitos divulgados no boletim da prefeitura local, Santarém registrou 20 mortes nos últimos sete dias.  Pelo menos outros sete pacientes aguardam um leito de UTI.

No último domingo o Sindicato dos Médicos do Pará denunciou a superlotação da UPA 24h e a fila de espera dos pacientes graves em busca de leitos de UTI. No relato da médica Nástia Irina, que representa a entidade no Conselho Municipal de Saúde, os pacientes graves (em septicemia ou insuficiência renal) são direcionamentos para a Sala Vermelha, de onde só saem caso consigam o leito. “Ou é feita a transferência ou morrem”, disse a médica.

A UPA 24h é dividida em uma Sala Vermelha, destinada aos pacientes grave e intubados e quatro Salas de Isolamento, que juntas somam em torno de 50 vagas, todas ocupadas.  De acordo com boletim da covid-19 divulgado nesta terça, 2, quatro pacientes esperam por leitos de UTI.

Os leitos clínicos que estão divididos na UPA e HRBA, dos 117 existentes, 117 estão ocupados, o que corresponde a 96,49%, sendo 47 pacientes que testaram positivo e 70 ainda em investigação.

Nova ala – Para tentar atender a demanda de pacientes que necessitam de leitos, a prefeitura local determinou a abertura de uma ala com 20 leitos para no Hospital Municipal Dr. Alberto Tolentino Sotelo. As prefeituras de Aveiro e Belterra vão emprestar 20 macas com colchonetes ao HMS.

Santarém aderiu ao lockdown na ultima segunda-feira, 1º. A ocupação de leitos do sistema público de saúde na região do Baixo Amazonas e a circulação da variante brasileira do novo coronavírus, chamada de P1, com dois casos confirmados no município de Santarém levaram o governo do estado a mudar o bandeiramento da região de vermelho para preto, que significa a adoção de medidas mais rígidas para reduzir a circulação de pessoas nas ruas.

Um decreto que proíbe o funcionamento de atividades não essenciais no município foi assinado pelo prefeito Nélio Aguiar (DEM) no domingo, 31Apenas atividades consideradas essenciais estão liberadas.

Fonte: Roma News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *