Mãe denuncia que seu bebê teve o braço fraturado durante parto em hospital de Altamira

Uma família de Altamira, no sudeste do Pará, denuncia um suposto caso de violência obstétrica ocorrida no Hospital Geral São Rafael. A mãe da criança relatou em entrevista à imprensa local que a recém nascida sente dor e não para de chorar. A suspeita é que a criança tenha fraturado um membro superior durante o parto.

A menina nasceu no dia 20 de janeiro, no Hospital Geral de Altamira. Joelma, a mãe, conta que durante o parto percebeu que não havia passagem e reclamou para o médico. Ao forçar o parto normal, mesmo sem passagem, ela acredita que a clavícula da criança fraturou, e agora com o braço machucado, a menina não para de chorar.

A mãe segue em casa, cuidando da filha, à espera de um exame que comprove o que realmente houve na hora do parto.

Em nota, a direção do Hospital Geral informou que não consta no prontuário que a criança sofreu fratura durante o parto. Ainda segundo a nota, a recém-nascida foi examinada por um médico pediatra e nenhum problema foi detectado.

A direção informou que o hospital geral segue à disposição para receber novamente a mãe e a criança e realizar uma nova avaliação.

Outro caso – Em outubro de 2020, uma criança morreu durante o parto na Santa Casa de Misericórdia, em Belém. Natural de Ourém, a mãe do bebê afirmou na época que não havia passagem, mas a equipe obstétrica optou pelo parto normal e o bebê teve o pescoço fraturado. O caso ganhou repercussão nacional.

Fonte: Portal Roma News

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *