Artigo – Educação na pandemia: As inovações em aprendizagem digital e remota

Por Oswaldo Bezerra

Sempre houve uma desconfiança de que o ensino à distância (EAD) fosse, somente, uma forma das empresas de ensino faturarem mais. Contratar menos professores e pagar menos aos remanescentes. Até que veio a pandemia e, forçosamente, toda a educação teve que ser assim, de maneira remota.

Uma professora de ensino elementar, da Creche Escola Espaço Inteligente da capital cearense, me confidenciou estar surpresa com os resultados do ensino à distância. Segundo ela, pareceu ter melhores resultados que o ensino presencial.

Na segunda edição do workshop da UNESCO, foram reunidos especialistas que compartilharam suas experiências de integração criativa de ensino à distância em ambientes digitais e remotos. Além disso, deram dicas de como construir estruturas para garantir que a aprendizagem continue.

Uma pesquisa mostrou que 94% dos participantes continuaram com alguma forma de aprendizagem EAD durante a pandemia (67% em tempo integral, 27% parcialmente) e a maioria o fez pela Internet ou usando telefones.

Jade Bezerra, criadora do Studygram “A Educação da Vontade” afirma que muitas escolas usaram aplicativos para colaboração online interativa. Diferentes atores, como escolas e autoridades locais, trabalharam juntos para se adaptar rapidamente à nova situação e garantir o aprendizado contínuo EAD.

A colaboração entre diferentes atores do setor de educação e as comunidades locais foi um grande sucesso. A aprendizagem EAD pôde ser retomada online rapidamente após o anúncio de medidas de distanciamento social e o fechamento de escolas.

Em colaboração com a TedX, a plataforma de aprendizagem digital Earth School é acessível e inclui módulos que podem ser facilmente seguidos por alunos independentes e por alunos que precisam do envolvimento dos pais. Cinquenta curadores, de todo o mundo, colaboraram para criar um recurso online para marcar o Dia da Terra de 2020 em menos de 30 dias.

Kathleen Usher, especialista em ciências do English Montreal School Board no Canadá, foi uma das curadoras do Earth School Project e compartilhou como os criadores tornaram o aprendizado nesta plataforma online mais ativo, oferecendo atividades que os alunos podem fazer facilmente em casa e se conectar com suas atividades diárias com a vida.

A importância de se sentir conectado e emocionalmente envolvido também foi enfatizada por Maria Anagnostidou, que é professora da 3ª Escola Primária de Serres, Grécia. Para ela, a aprendizagem social, emocional e a criação de um senso de comunidade são os principais desafios da aprendizagem digital.

Junto com uma escola na Polônia, a professora Anagnostidou projetou várias exposições online e atividades que os alunos podem criar de forma independente e, em seguida, exibir online.

Nos dias internacionais para envolver os alunos em atividades, por exemplo, o dia das abelhas para aprender sobre apicultura e pólen ou o dia internacional da gastronomia para falar sobre alimentação e nutrição.

Cristian Vélez Ramirez, o Coordenador de Educação do Centro de Resgate da Amazônia (CREA) e Amazon Forever no Peru destacou a importância da inclusão e compartilhou exemplos de como o aprendizado da EAD foi compartilhada por meio da internet, TV e também rádio para jovens no país.

A iniciativa fazia parte do programa “Aprendo em casa” do Ministério da Educação do Peru, incluindo ‘One child, One radio’ para jovens alunos em ambientes remotos sem acesso à Internet. Cristian e seus colegas também moveram muitas de suas atividades educacionais online, alcançando assim os alunos que normalmente teriam que vir para o Amazon Rescue Center. Foi um exemplo de inclusão educacional.

Os palestrantes da UNESCO concluíram que apoiar professores para ajudá-los a facilitar o EAD em ambientes digitais e remotos era vital, assim como explorar novas possibilidades técnicas, incluindo realidade virtual, dependendo do contexto e dos recursos disponíveis.

O que pode melhorar? Foram citados como oportunidades de melhorias enfatizar a importância da colaboração com os pais, doadores privados ou autoridades locais para garantir que as estruturas sejam aprimoradas para reduzir a lacuna digital e fornecer acesso a Internet e dispositivos a todos.

O ensino à distância em casa pode ser um ponto de entrada potencial no ambiente de aprendizagem familiar. Oferece uma oportunidade de envolver as famílias e a comunidade na aprendizagem holística orientadas com ações estratégicas. Esses elementos orientados para a ação também são cruciais para criar um ambiente de aprendizagem mais saudável com menos horas de tela.

RG 15 / O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *