Pará é o estado com a maior redução no número de homicídios dolosos no país

Belém é a capital que obteve a maior redução no número de homicídios dolosos no País. Os dados constam da matéria publicada no jornal Folha de São Paulo nesta segunda-feira (15), sobre um levantamento do site de jornalismo de dados Pindograma, o qual detalha a distribuição da violência pelos mapas de nove capitais e do Distrito Federal. Os números, referentes a 2019 e 2020 baseiam-se nos registros de ocorrência das delegacias de Fortaleza (CE), Salvador (BA), Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Belém (PA), Belo Horizonte (MG), Manaus (AM), Curitiba (PR) e Goiânia (GO), e do DF.

Segundo o estudo, a capital paraense reduziu em 52% o número de homicídios, o que representa a preservação de 350 vidas. As cidades que também diminuíram homicídios foram Goiânia (24%) e Rio de Janeiro (9%). Os maiores aumentos foram detectados em Fortaleza, a capital que mais registrou aumento (37%), seguida de Salvador (10%) e São Paulo (8%).

O estudo mostra ainda que, de junho de 2018 a maio de 2019, Belém contabilizou 677 vítimas de homicídio doloso. De junho de 2019 a maio de 2020, foram 323. Segundo o secretário de Estado de Segurança Pública e Defesa Social, Ualame Machado, é possível identificar os principais fatores que contribuíram para a diminuição do crime, especificamente em Belém.

“O estudo é da capital, Belém, e isso se deve basicamente à presença policial, com o ‘Polícia Mais Forte’, a maior presença de viaturas na rua, mostrando a presença, realmente, da força ostensiva e preventiva e, também com enfoque na prisão de grupos que praticavam crimes em séries, que era um cotidiano aqui no Estado e, em especial, na Região Metropolitana de Belém. O policiamento mais ostensivo, a repressão qualificada da Polícia Civil e o controle do sistema penitenciário do complexo de Americano, que mesmo estando localizado fora da capital, repercute na cidade de Belém, foi importante para mais essa comprovação da queda dos índices de Belém”, explicou Ualame Machado.

 

Por: Segup

Foto: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *