Artigo – O maior líder republicano da história paraense veio de uma família muito pobre e pelos pobres trabalhou

Por Oswaldo Bezerra

Nunca vi um monumento, em homenagem a uma personalidade, tão belo quanto o que existe na Praça Floriano Peixoto em Belém. Ele foi erguido em 1958, pelo então governador Magalhães Barata. É dedicado à memória do maior líder político republicano da história paraense.

Do nome do homenageado, Lauro Sodré, na minha infância só lembra o magnífico colégio que ficava situado na Av. Almirante Barroso em Belém. Por isso, estudar História, mais do que uma obrigação é prazer para o intelecto. É melhor que assistir a um filme de Hollywood, pois na História podemos encontrar os verdadeiros super-heróis.

Na verdade, nos meus tempos de estudante não tínhamos a História paraense como matéria em nosso currículo. Por isso, para muitos, conhecer Lauro Sodré significa apenas saber de onde os nomes dos monumentos vêm.

Quem foi Lauro Sodré e qual foi sua importância para o Pará, para que um belo monumento fosse erguido em sua homenagem? Lauro Sodré é representado em seu monumento em posição contemplativa, reflexiva, guardando uma enigmática relação com o tempo e com espaço que o cerca. Essa é a pista mais importante para saber quem ele foi.

Lauro Nina Sodré e Silva nasceu em 1858 em Belém. Não teve “berço”, veio de uma família muito pobre. Formou-se em engenharia na escola militar do Rio de Janeiro, onde foi aluno de Benjamim Constant, e por ele influenciado a doutrina de Auguste Comte. Ou seja, passou a desenvolver uma visão progressista e socialista.

Aluno brilhante, como a maioria dos paraenses são quando submetidos à pressão, formou-se como melhor aluno da academia militar. Na vida profissional, sabia que vivia sob a vigia dos espiões monarquistas. Corajoso, como todo papa chibé terminava seus discursos falando “quem fez este discurso foi o tenente Lauro Sodré”.

Ele discursava duramente contra a monarquia e a estrutura social mantida pelas elites da época. Criticava de maneira veemente a escravidão. Criticava a posição do país de possuir religião oficial e as relações entre estado e igreja.

Foi o primeiro governador do estado do Pará, eleito pelo Congresso Constituinte Paraense de 1891. Foi também o representante do Pará na Constituinte da República e eleito quatro vezes senador, três vezes pelo Pará e uma pelo então Distrito Federal.

Como governador iniciou a construção de várias escolas principalmente no interior do estado. Por achar insustentável o estado ter como atividade econômica apenas o extrativismo, Sodré abriu núcleos ocupacionais na estrada de ferro Belém-Bragança, que deu origem a grandes cidades.

Lauro Sodré abriu o conservatório para ser dirigido por Carlos Gomes, na época o maior músico do país com reconhecimento internacional. Nomeou também o Dr. Emil August Goeldi, que era subdiretor do Museu Nacional do Rio de Janeiro, para reorganizar o Museu Paraense de História Natural e Etnografia.

Foi o único governador que teve a macheza de ser contra o golpe de estado perpetrado pelo Marechal Deodoro da Fonseca. Por isso, foi deposto por forte expedição militar. Com a queda de Deodoro, todos os governadores foram substituídos, menos Sodré.

Na época, a maçonaria era restrita a personalidades de alto saber, honestidade e distinção. Lauro Sodré se tornou Grão-Mestre da loja Grande Oriente do Brasil. Terminou sua vida pública como governador do Pará, quando do golpe de 1930. Porém, continuou como tutor e principal conselheiro político do Governador Magalhães Barata.

Com ideais socialistas e visão sempre direcionada ao povo, pois veio do seio de uma família pobre, Lauro Sodré escreveu em carta “ato meu nunca levou a dor ou a humilhação aos lares da minha terra”.

Ele nos deixou em 1944. Foi o paraense mais importante da República, pois lançou seus ideais revolucionários, elevou a Ciência e Cultura do estado, moldou Magalhães Barata, modernizou a economia paraense e levou a educação para os cantos mais remotos. Foi um visionário que representou o divisor de águas do estado.

RG 15 / O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *