Artigo – Tanques russos em direção à Ucrânia geram receio da 3ª Guerra Mundial

Por Oswaldo Bezerra

Agora mesmo as forças militares russas estão concentradas nas fronteiras da Ucrânia. Os líderes militares ocidentais dizem que estão preocupados com estes movimentos. Os falcões do governo Biden não ficarão inertes por uma possível invasão russa na Ucrânia. A resposta pode desencadear uma reação em cadeia até a 3ª Guerra Mundial.

Então, o que fez os russos moverem repentinamente uma força de invasão maciça para a Ucrânia? Todos sabem. A Ucrânia sofreu um golpe de estado administrado pelos EUA. A atitude americana visou fechar a fronteira da Europa para o gás russo e de quebra fechar a fronteira europeia para a rota da seda chinesa.

A verdade é que o presidente ucraniano Volodymyr Zelensky essencialmente assinou uma declaração de guerra contra a Rússia em 24 de março. O documento que ele assinou é conhecido como Decreto nº 117/2021, e você NÃO vai ler nada sobre ele na mídia corporativa.

Eu precisei cavar fundo para encontrar realmente o Decreto nº 117/2021. Peguei vários dos parágrafos do início do documento e traduzi no Google. De acordo com o Artigo 107 da Constituição da Ucrânia, decreto:

1. Para colocar em vigor a decisão do Conselho de Segurança e Defesa Nacional da Ucrânia de 11 de março de 2021 “Sobre a Estratégia de desocupação e reintegração do território temporariamente ocupado da República Autônoma da Crimeia e da cidade de Sebastopol”.

2. Aprovar a Estratégia de desocupação e reintegração do território temporariamente ocupado da República Autônoma da Crimeia e da cidade de Sebastopol.

3. O controle sobre a implantação da decisão do Conselho de Segurança e Defesa Nacional da Ucrânia, promulgada por este Decreto, caberá ao Secretário do Conselho de Segurança e Defesa Nacional da Ucrânia.

4. O presente Decreto entra em vigor na data da sua publicação.

Presidente da Ucrânia V.ZELENSKY

24 de março de 2021

Basicamente, este decreto torna a política oficial do governo da Ucrânia retomar a Crimeia da Rússia. É claro que os russos nunca entregarão a Crimeia, porque a consideram território russo e, portanto, a Ucrânia teria de tomá-la à força.

Por isso é essencialmente uma declaração de guerra contra a Rússia, e Zelensky nunca teria assinado tal documento sem a aprovação do governo Biden.

Após a assinatura do Decreto nº 117/2021, começamos a ver as forças russas entrando na Crimeia e em áreas mantidas pelos separatistas no leste da Ucrânia em um ritmo gigantesco.

Assim se movimentou uma coluna de tanques russos sendo transportados por ferrovia aqui.

Aqui se pode ver uma coluna de forças russas na ponte da Crimeia aqui.

Além disso, está sendo relatado que a 56ª Brigada de Assalto Aéreo de Guardas está em movimento, o que realmente não é um bom sinal.

Os russos estão levando a declaração de guerra de Zelensky muito a sério, mas a mídia corporativa do mundo ocidental está culpando a “agressão russa” pelo aumento das tensões na região.

Os russos nunca teriam feito nenhuma dessas manobras se os fomentadores de guerra do governo Biden não tivessem dado luz verde a Zelensky para assinar o Decreto nº 117/2021.

E o que a maioria das pessoas no mundo ocidental não sabe é que a luta já começou na Ucrânia. O cessar-fogo acordado em julho de 2020 já foi violado na semana passada. A missão civil de monitoramento especial da OSCE na Ucrânia relatou centenas de violações do cessar-fogo nos últimos dias. Em 26 de março, quatro soldados ucranianos foram mortos e outros dois ficaram feridos na parte oriental do país.

Os militares ucranianos disseram que seus soldados foram atingidos por um ataque de morteiro que atribuiu às tropas russas. A Rússia nega ter presença militar no leste da Ucrânia, onde apoia forças separatistas.

O Comando Europeu dos EUA elevou seu status de alerta ao mais alto nível após o recomeço dos combates entre separatistas apoiados pela Rússia e soldados ucranianos na região de Donetsk, no leste da Ucrânia, marcando o fim de um cessar-fogo de junho de 2020, e as forças russas começaram a montar equipamento militar ao longo da fronteira.

É notícia recente divulgada no Facebook nesta quarta-feira, o Ministério da Defesa russo disse que, por iniciativa dos EUA, o presidente do Estado-Maior Conjunto, Mark Milley, conversou por telefone com seu homólogo. Questões de interesse mútuo foram discutidas, disse o comunicado.

Nos próximos dias, a mídia corporativa do mundo ocidental continuará falando sobre a “agressão russa”, na verdade os culpados são Zelensky e o governo Biden pelo aumento das tensões na região.

Realmente o que importa é evitar que isso se transforme em um conflito global. Porque se alguém fizer um movimento brusco e os russos sentirem necessidade de enviar sua força de invasão à Ucrânia, não haverá retorno. O conflito entre os Estados Unidos e a Rússia nunca esteve tão próximo.

Com Trump na Casa Branca, a relação com a Rússia era estável. Já Biden é um senhor da guerra, com sinais de declínio cognitivo avançado, cercado por uma equipe de fomentadores de guerra determinados a assassinar Vladimir Putin. Os loucos estão administrando o asilo, e não será preciso muito esforço para que a 3ª. Guerra Mundial se inicie.

RG 15 / O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *