Artigo – O político que há em cada um de nós

Por Oswaldo Bezerra

Dependemos da sociedade, não somos nada sem ela. A sociedade é quem nos educa nos faz prosperar e aprimorar nossas qualidades. Por isso, em primeiro lugar devemos lutar por causas coletivas.

Precisamos nos integrar, respeitar nossas diversidades para crescermos juntos. Nada disso é possível sem luta política. Você que diz não gostar de política repense suas atitudes. Poderia ser você o político que venha a transformar o mundo em lago bem melhor.

Foram necessários milhares de milagres para você vir ao mundo. Quando você nasce já traz no coração o desejo de fazer a mudança. O mundo pode se tornar melhor depois da sua passagem.

Não participando da política você corre o grande risco de chegar à velhice com vergonha de si mesmo. Vergonha de ter passado por uma vida tão rápida e inútil, seguindo o que os Mercados escolheram para você. Vendo a miséria se perpetuar e crescer ao seu redor, você não moveu um dedo sequer para que a situação mudasse para todos.

Existe um político dentro de cada um de nós. Nenhuma dificuldade é suficiente para nos parar. Existem exemplos disso no Pará. Um dos governadores do Estado que mais foi envolto em polêmicas, teve o nome mais achincalhado por processos judiciais falsos, ou não mas que foram utilizados com fins caluniosos políticos, mesmo assim foi um vitorioso.

Um exemplo de luta constante, mesmo contra as adversidades Jader Fontenele Barbalho foi um político vencedor. Sua biografia deveria hoje ser o Livro de cabeceira de qualquer um que deseja ser um candidato a Governador do Pará.

Eu ainda era adolescente quando vi Jader Barbalho em um discurso em um palanque de Capitão Poço. Ele foi interrompido por um espectador. Jader falava de verbas para o município quando o espectador gritou “é dinheiro roubado”. Jader sabia da pecha que a imprensa lhe tinha rotulado, mesmo assim respondeu de imediato “pode ser roubado, mas seu prefeito vive pedindo este dinheiro para trazer melhorias para vocês moradores”.

Jader Barbalho surgiu na política logo após o Golpe de Estado que o Brasil sofreu, na operação norte-americana batizada de Condor. Belenense, nascido em 1944, Jader Barbalho foi eleito em 1967 pelo MDB (Movimento Democrático Brasileiro). Nasceu como político de coragem, pois foi oposição ao governo militar. Há uma dificuldade maior que esta?

Em 1971, quando se formou em Direito, já era deputado estadual. Três anos depois já era deputado federal e se tornou um campeão de votos. Jader despontou na política paraense na época mais dourada dos políticos paraenses, conviveu com Jarbas Passarinho e Alacid Nunes.

Derrotou, em 1983, Oziel Carneiro e Jarbas Passarinho se tornando pela primeira vez governador do Pará. Sua campanha no interior foi vital para se tornar um líder em número de votos. Jader Barbalho peitou o governo federal quando criticou a atuação nos projetos desenvolvidos no Pará, relacionado à exploração de jazidas minerais, afirmando ser urgente uma reformulação do conceito de Federação no Brasil.

Jader foi um dedicado desapropriador de terras para o assentamento de famílias, inaugurando diversos bairros na periferia da capital, inclusive deixando seu nome em um deles: Jaderlândia. Por isso, teve elevados índices de aceitação popular, estando sempre direcionado aos problemas de natureza fundiária, o principal problema do Pará.

O governador foi mais além. Chegou aos cargos de Senador, Ministro e presidente do Senado. Sua carreira política foi uma das mais brilhantes alcançadas por um paraense. As dificuldades também foram aumento à medida que galgava posições.

Foi difamado pelo jornal “O Estado de São Paulo” quando este saiu em defesa dos latifundiários paulistas que detinham terras no Pará. A imprensa passou a destacar o “escândalo de Aurá” como reação as desapropriações. Por contas das acusações o Governador foi condenado, mas em posterior revisão foi considerado inocente. Foi o preço de bater de frente contra poderosos.

Teve seu nome novamente colocado em polêmica por denúncias quando chefiou o Ministério da Previdência e Assistência Social, por denúncias relativas a valores de indenizações de desapropriações. No dia 16 de fevereiro de 2002, Jáder Barbalho foi preso em Belém pela Polícia Federal, a pedido da Justiça Federal de Tocantins, por suposto envolvimento no desvio de recursos na Sudam.

Nunca um político paraense teve seu nome tão manchado por investigações de corrupção. Mesmo assim, Jader Barbalho foi um dos políticos paraenses mais vitoriosos na luta pelo voto. O grande político paraense demonstrou que, por mais que as dificuldades nos impelem a desistir da política, o político que há em cada um de nós pode prevalecer e trazer mudanças ao mundo.

RG 15 / O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *