Trabalhadores cobram soluções para coibir furtos recorrentes no Mercadão 2000

Na manhã desta segunda-feira (12), um homem suspeito de furto foi capturado, amarrado e conduzido a 16° Seccional de Polícia Civil por um produtor rural.  Imagens das câmaras de segurança flagraram o indivíduo cometendo o delito no Mercadão 2000. Mas esse é apenas um dos inúmeros casos de furtos que acontecem no local, onde produtos como sacas de farinha, gomas, molho de tucupi e entre outros são subtraídos facilmente por meliantes, pois o local não oferece nenhum tipo de segurança às mercadorias armazenadas.

Existem diversos pontos de vendas que sofrem com a ação de criminosos. Trabalhadores rurais que moram no interior precisam tirar o sustento das suas famílias, acordam por volta das 4h da manhã para trabalhar e saem no prejuízo. Segundo o feirante identificado por Wagner Costa Freire, essas situações não eram para estarem acontecendo. “Queremos mais competência por parte da coordenação, e que ela coloque um vigia aqui dentro do mercadão 2000, porque não aguentamos mais isso”, afirmou.

De acordo com a Polícia Civil, o suspeito que foi pego cometendo “pequenos delitos” será encaminhado para a apreciação do Delegado para verificação dos possíveis procedimentos a serem realizados. Além disso, a Polícia Militar tem trabalhado para coibir a prática de vendas de drogas nas proximidades e ação de usuários de drogas. Alguns elementos já foram presos, porém não cessam.

“Falta uma união por parte da associação para verificar esse tipo de situação que não era para estar acontecendo, porque nós, sócios, todos os dias nós pagamos nossas taxas. O presidente da Associação de Produtores Rurais de Santarém (APRUSAN) só sabe cobrar, mas eu quero saber qual a responsabilidade dele com “nós”, por que é que não tem um vigia, porque não adianta colocar só as câmaras, precisa de um vigia. Só tá filmando”, afirmou o trabalhador, Wagner Costa Freire.

Ainda de acordo com os feirantes, existem pessoas que informam aos criminosos onde estão as mercadorias, assim as ações são recorrentes. Os produtores rurais cobram soluções, principalmente para que a Associação de Produtores Rurais de Santarém possa assegurar a proteção e segurança não só das mercadorias, mas também dos trabalhadores, que não realizam denúncias por medo.

 

Por: Diene Moura

RG15/O Impacto – Colaborou Lorenna Morena

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *