Sargento da PM sofre atentado a tiros em Santarém

A Polícia Militar de Santarém realiza incursões com objetivo de prender a dupla de criminosos que na manhã de terça-feira(8), tentaram contra a vida do Sargento PM Gildson dos Santos Soares, atualmente lotado na 1ª Companhia Independente de Policiamento Ambiental (Cipamb).

De acordo com informações iniciais, o militar  estava em um veículo na Toca da Raposa, região localizada entre os bairros do Santarenzinho e Matinha, quando  dois bandidos em uma motocicleta, de cor preta, teriam efetuado diversos disparos de arma de fogo contra o carro do PM. O Policial não foi atingido.

RÉU POR HOMICÍDIO

O sargento PM Gildson, alvo do atentado, responde processo na Justiça por homicídio e tentativas de homicídio. Encontra-se em liberdade por força de Habeas Corpus(HC). Ele foi preso em 2018. O Mandado de Prisão com a assinatura dos três juízes criminais de Santarém na época, Gabriel Veloso Alexandre Rizzi e Rômulo Brito, foi cumprido pela Corregedoria da Polícia Militar.

No dia 28 de junho de 2018, segundo as investigações, ele disparou 12 tiros em um veículo, no bairro do Santarenzinho. O incidente causou a morte da doméstica Sônia da Silva Viana, 40 anos e ferimentos em outras três pessoas que se encontravam no interior do veículo.

Gildson responde ao processo denunciado pelo Ministério Público pelos crimes de homicídio qualificado (artigo 121, parágrafo 2°, incisos II e IV do Código Penal Brasileiro) e mais cinco tentativas de homicídio qualificado (artigo 121, parágrafo 2°, incisos II e IV, combinados com artigo 14, todos do Código Penal Brasileiro.

Na decisão do HC, os desembargadores determinaram que as medidas cautelares deveriam ser definidas pelo juízo local, após a expedição Alvará de Soltura. O juiz Gabriel Veloso, na época, determinou que o PM estivesse proibido de portar arma e  poderia cumprir serviços administrativos, até o final do processo.

 

Matéria em atualização…

RG 15 / O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *