[Vídeo] A corrida pela tecnologia: a impressionante invenção da década de 1940 que ainda não foi superada

Por Oswaldo Bezerra

A China critica a lei dos EUA que visa conter seu desenvolvimento tecnológico. Isso já não é mais Liberalismo nem capitalismo, isso nem se pode dizer que é protecionismo. Trata-se de imperialismo. Vai dar certo esta estratégia norte-americana? Provavelmente não dará.

Durante a Segunda Guerra Mundial o grande aliado e amigo dos EUA era a União Soviética. Stalin era apelidado de “O bom tio Joe” nos EUA. Músicas e filmes foram feitos em sua homenagem na terra do Tio Sam. Com o fim da Guerra, os EUA perceberam que os soviéticos rivalizariam com os EUA.

Assim os norte-americanos passaram a demonizar o comunismo. O antes “bom tio Joe” passou a ser chamado de Ditador. Os EUA passaram a tentar deter o avanço tecnológico soviético, principalmente no campo dos armamentos.

A política norte-americana de deter o avanço tecnológico russo fracassou. Hoje a Rússia está 20 anos a frente dos EUA no que se trata em armamento de guerra por conta dos mísseis nucleares hipersônicos. E não é só na tecnologia hipersônica que a Rússia se destaca.

Meu pai, um militar da reserva, se surpreendeu um dia que assistia um vídeo sobre rifles de assalto quando descobriu que hoje a Kalashinikov, criada em 1947, ainda é o melhor fuzil do mundo.

Não à toa que ela é a metralhadora oficial de mais de 50 exércitos pelo mundo. Foram produzidas 200 milhões de Kalashinok e ainda hoje é o rifle de assalto mais vendido mesmo dentro dos EUA.

A Kalashinikov criada em 1947, conhecida como AK-47, foi vista em ação pela primeira vez na invasão dos EUA ao Vietnã. A União Soviética cedeu sua metralhadora para o Vietcongues.

Pela primeira vez ficaram frente a frente as metralhadoras capitalista e comunista (AK-47 x M16). O rifle de assalto norte-americano era bem mais leve e mais preciso nos seus tiros. Por isso, os americanos desdenharam das AK-47 quando a viram pela primeira vez.

Quando perceberam que estavam sendo dizimados por uma metralhadora que podia atirar até mesmo de dentro d´água, por vezes a AK-47 enlameada nos pântanos do Vietnã continuava cuspindo bala. Enquanto isso, as M-16 travavam por água, lama e quando esquentavam.

Quem nunca na vida atirou com uma arma pode ficar expert em AK-47 com poucos minutos de instrução. É de uma simplicidade tão grande que a arma foi distribuída em todo o globo. O baixo custo também ajuda na sua popularidade. O fuzil se tornou tão popular que foi inserido na bandeira nacional de Moçambique.

Como sempre, os EUA carregaram na propaganda e nas fake news. Toda uma geração viu a AK-47 sempre em mãos de vilões no cinema. A arma russa ainda hoje é montada manualmente. Mulheres desempenham o papel de controle de qualidade das armas em suas fábricas.

A arma mais comum do planeta são até produzidas em dois estados nos EUA. Contudo, o maior produtor das AK´s é a China, e não a Rússia. Existe em uso hoje no mundo cerca de 100 milhões de AK-47, uma para cada 70 habitantes.

No esforço da obtenção da supremacia tecnológica intervir em outros Estados para tentar frear o avanço de outros países nem sempre funciona. Os mísseis hipersônicos e a AK-47 são a prova disso.

***Novo Livro de Oswaldo Bezerra intitulado “O Governador” está agora disponível em “livro físico”e para “Kindle”na Amazon.***

RG 15 / O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *