Alerta – Golpe promete saque do FGTS; saiba como se proteger

Com a divulgação do calendário de saques do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS), os golpes virtuais voltaram a usar a temática como isca para novas vítimas. Somente neste ano, o dfndr lab, laboratório especializado em segurança digital da PSafe, já realizou mais de 10 mil detecções desta fraude, este número representa a quantidade de acessos e compartilhamentos de links. De janeiro a maio, o aumento de detecção foi de 68%. O laboratório ainda avalia que os golpes tendem a crescer, porque a divulgação do novo calendário de saques aconteceu recentemente.

Nas páginas falsas, os golpistas solicitam dados pessoais das vítimas e em seguida pedem o compartilhamento do link malicioso com seus contatos, como uma suposta garantia para o recebimento do valor de até R$ 3.900. Para evitar cair em furadas, segundo a advogada especialista em Direito Civil Thaís Vianna, desconfie de todo e qualquer link, principalmente solicitando cadastro ou informações pessoais.

Emilio Simoni, diretor do dfndr lab, explica o prejuízo para a vítima deste tipo de golpe: “Quando a vítima informa seus dados no link malicioso, ela fica vulnerável ao roubo dessas informações pessoais, que além de facilitar o saque indevido do benefício, podem ser usadas pelo cibercriminoso para realizar a assinatura de serviços online e até para abrir contas em bancos. Outro problema é quando a vítima compartilha o falso site com seus contatos, tornando-se um vetor de disseminação do golpe, o que garante aos cibercriminosos um crescimento acelerado dos ataques”.

De acordo com o dfndr lab, a dinâmica deste golpe já havia sido observada anteriormente em outros ciberataques, como o que prometia o cadastro no programa de auxílio emergencial concedido pelo governo federal e nos próprios golpes de saque do FGTS que aconteceram no ano passado.

Confira as dicas para se proteger, conforme o dfndr lab:

1 – Os aplicativos de conversa são os principais meios utilizados para disseminar golpes digitais. Utilize soluções de segurança no celular, como o dfndr security, que disponibilizam proteção em tempo real contra links maliciosos compartilhados através do WhatsApp, Facebook Messenger, SMS e no navegador.

2 – Tenha cuidado ao clicar em links compartilhados no WhatsApp ou nas redes sociais. Antes de compartilhar informações, procure em veículos confiáveis e fontes oficiais, jornais e sites para confirmar se aquilo é realmente verdadeiro.

3 – Não compartilhe links de procedência duvidosa. Na dúvida sobre se um link é de fato seguro, realize a checagem gratuita no site do dfndr lab.

O que fazer se cair no golpe

“O trabalhador deve fazer o BO (boletim de ocorrência), que pode ser on-line, principalmente para constar que os dados pessoais foram entregues e evitar que, caso seus dados sejam utilizados, você tenha outros prejuízos. E, com o BO em mãos, comparecer na Caixa Econômica Federal para contestar o saque indevido”, indica a advogada Thaís Vianna.

Fonte: O Dia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *