Tecnologia melhora a performance do sistema de segurança para combater o crime no Pará

Com os crimes se tornando cada vez mais sofisticados, a Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) precisa estar equipada para realizar um combate efetivo e permanente. Órgãos que a compõem, como Polícia Militar e Polícia Civil, contam com a modernização de serviços e aparatos que auxiliam nas ações de enfrentamento à criminalidade e atendimento à população.

“Desde o início da gestão e aproveitando justamente o momento em que o mundo vive de avanço nas tecnologias, estamos implementando várias medidas. Não só aquelas de contato com o público, como o lançamento da Iara, uma atendente virtual para o Disque Denúncia; a digitalização do sistema de rádio, a ampliação da possibilidade de registro de ocorrência em delegacia virtual, mas também aquilo que a tropa utiliza no dia a dia, que são as inteligências artificiais que estão hoje acopladas aos nossos sistemas”, informa o titular da pasta, secretário Ualame Machado.

Os sistemas IRIS (Integração de Registros para Identificação de Suspeitos), o Sentinela, são alguns dos exemplos de ampliação realizadas pela Segup. Segundo o gestor, as transformações perpassam desde a integração do sistema de segurança pública à conquista de instrumentos para análises de crimes tecnológicos.

“Tendo em vista as novas aquisições que fizemos através das inteligências, os equipamentos que possibilitam essa investigação através do monitoramento de nossas câmeras com reconhecimento facial e de placas e tudo isso vem sendo intensificado, a utilização junto à nossa tropa e os resultados têm sido satisfatórios, inclusive surpreendentes em alguns casos, a exemplo do próprio número de prisões que estamos fazendo com a ampliação do sistema de câmera e as inteligências artificiais que colocamos nelas. A ideia é que consigamos cada vez mais explorar esse mercado das novas tecnologias trazendo o que há de mais moderno no mundo para a atuação aqui no Pará”, pontua Ualame.

MULHER

Na Polícia Civil, a Delegacia Virtual foi segmentada para oferecer um atendimento especializado aos crimes de violência doméstica. Diretora de Informática Manutenção e Estatística (DIME), a delegada Deisy Lemos explica que foram disponibilizadas abas para registro dos casos de forma específica.

“Permite que a mulher faça a denúncia em uma plataforma dentro da Delegacia Virtual. São solicitados dados pessoais, o tipo de violência que a pessoa é vítima, dados do agressor e do crime, local, endereço. Considerando o número de ocorrências, as pessoas estão mais à vontade para denunciar. Posteriormente será possível cruzar dados dependendo da demanda da área operacional. A lei estadual que obriga as denúncias de síndicos e administradores de condomínios também contribui para o aumento da procura”, explica a delegada.

A implementação de tecnologia nos processos administrativos também está acelerando as investigações. Com a realização de audiências por videoconferência, além da economia de tempo com deslocamentos e despesas com diárias, os processos estão mais céleres, uma vez que as comissões não precisam necessariamente se deslocar para os interiores a fim de coletar depoimentos.

A Polícia Militar faz utilização algumas ferramentas digitais, inclusive para o contingente interno, as quais são produzidas e desenvolvidas pela própria instituição. O Sigpol, por exemplo, permite o cadastro e funcionalidades de recursos humanos relativas aos Polícias Militares, bem como atividades administrativas e atividades operacionais. Em breve será substituído pelo Gestor Web com a implementação de  novas funcionalidades. Hoje já estão em funcionamento os módulos SEP (CPP e CPO), relativo as promoções de policiais; Jornadas, que se refere aos trabalhos extraordinários; Junta, relativo às Fichas Médicas de policiais.

Outro aplicativo, o Identidade, permite a identificação quanto à usabilidade de alguns serviços, tais como: Busca Veicular; SOS PM; Pop; Legislação. Já o PM + Forte é destinado para a gestão de escalas de serviço e tirada de faltas, bem como a celeridade no processo do serviço extraordinário e o pagamento de jornadas extraordinária.

RG15/O Impacto com Agência Pará

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *