Moradora denuncia Equatorial por falta de orientação na instalação de novo padrão de energia

Por Diene Moura

Chegou até a redação do Jornal O Impacto uma denúncia relacionada a falta de orientação aos consumidores com relação ao novo padrão de energia que instalado nas residências. A reclamação partiu de uma moradora do bairro Alvorada, identificada como Cristiane Melo da Silva, que tenta já há cerca de um mês realizar a ligação no seu imóvel, em Santarém.

“Fui na Equatorial já tem um mês solicitar um padrão de energia para mim. Para eu trocar com o da mamãe, que o dela é monofásico, eu fui solicitar um  bifásico. Ao chegar lá,  eles disseram que não tinha o padrão e nem tinha previsão para chegar. Fui em  busca de comprar um padrão que custou R$ 800 reais. Voltei lá, eles disseram que era pra eu colocar na minha casa, que eles iam providenciar a ligação. Mandei colocar!  Lá no meu bairro todos os padrões são dentro da casa, não tem nenhum no meio da rua.  Eles não me orientaram em nada e por isso coloquei dentro de casa, um palmo para chegar na frente da minha casa, na rua, um palmo somente”, disse a moradora

Segundo as denunciante, após a instalação do novo padrão realizado por conta própria informaram que deveria aguardar por 3 a 5 dias úteis. “Fiquei esperando. Já no 5° dia útil,  que foi na terça-feira (09/11), eles resolveram chegar lá em casa. Sabe o que eles fizeram? Não tiveram a dignidade sequer de bater, eles enrolaram o papel e jogaram na cerca de qualquer jeito. Meu irmão, quando estava indo na padaria, que encontrou o papel e lá constava que o dono da casa tinha sido orientado a colocar o poste para fora. Eles são tão mentirosos que nem sequer bateram na porta da minha casa! Tive que voltar lá na empresa pra reivindicar meus direitos“, afirmou a consumidora

As instalação de novos padrões de energia são essenciais para reduzir o número de acidentes e desligamentos na rede em função de componentes danificados ou deteriorados com a passagem do tempo. Outro ponto a ser destacado como importante é que os modelos novos possibilitam a leitura dos serviços prestados pela distribuidora, ou seja, o funcionário encarregado da medição realiza a leitura do lado de fora do imóvel. Portanto, não é necessário adentrar na residência para realizar o seu trabalho e consequentemente contribui no aumento da segurança do cliente, reduzindo o número de  golpes por falsos funcionários.

No entanto, a demora e falta de orientação, pois a orientação só está disponível no site da concessionária, em muitos casos não chega ao conhecimento dos consumidores, gerando vários transtornos, como é destacado pela jovem Cristiane Silva.

“Se eles tivessem batido, meu irmão tinha colocado na hora esse poste para fora. Quando fui no escritório da concessionária me deram mais 4 dias úteis. Ter que esperar, isso é uma palhaçada!  Eles vão lá e entregam as coisas de qualquer jeito, como entregaram um papel e nem bateram na minha porta! Isso é o dever deles, orientarem a gente, porque estão sendo pagos e também é o nosso direito de baterem e entregar na nossa mão o papel e não jogar. Porque isso é uma falta de respeito. E se esse papel some, eu ia ficar esperando quantos dias para eu poder voltar lá?”, questiona a jovem.

Entramos em contato com a Assessoria de Comunicação da Equatorial Energia, solicitando informações sobre as orientações repassadas aos clientes durante o processo de mudança nos padrões de energia. Foi nos comunicado que existe em uma determinada área do site alguns informes sobre as medidas necessárias para serem adotadas durante esses procedimentos. Conforme o site, tudo indica que a instalação pode ser realizada por qualquer pessoa desde que siga as regras de instalação do padrão de acordo com a categoria a qual se encaixa. Dentro do site existe um passo a passo com um mapa simplificando como dever ser realizada a instalação, desde ferramentas a ser utilizadas até o local adequado a ser fixado.

Após o processo de fixação do novo padrão, a religação da energia para o imóvel deve ser realizado por um funcionário da concessionária, caso contrário é passível de multa e até considerado como crime de furto de energia. Por isso é necessário aguardar a “boa vontade” dos prestadores desses serviços, como acontece com a moradora que está há cerca de um mês sem energia em sua residência, com seus eletrodomésticos desligados e tendo que depender de terceiros durante esse período “no escuro”.

“Eu estou na casa da minha mãe e tendo que usufruir do espaço que é dela, por causa desse desrespeito. Ter que esperar mais cinco dias e lidar com a irresponsabilidade deles. Eu não posso pagar por um erro que é deles. Já que erraram, deveriam ir lá hoje instalar e não falaram nada. Dinheiro para eletricista eu tenho, mas não posso subir lá porque se não eu pago multa. E ainda tem mais, vem no meu talão a fatura de R$ 160 reais cobrando um interruptor, adaptador, ou seja, já estão me cobrando esse absurdo  e eu ainda vou ter que esperar mais esse monte de tempo! Porque quando é pra cortar energia eles vão debaixo da chuva e estão lá cortando a nossa energia. Um dia desses por causa de uma conta de R$ 5 reais que não paga nem a gasolina do carro deles, estavam na frente da casa da minha mãe para cortar a energia dela”, finalizou.

RG 15 / O Impacto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *